Inside your insides

I am present
But I am not public

I am here and there
Everywhere
Present
But not public

Memories
Dreams
Stories
Shivers
Chills
Fevers
Always present
But not public

You see, my darling
This is how it goes:
I don’t have to be public
To be present
And being present
Deep inside
Your insides
Requires much more depth
Than being public.

Volta e meia

Perdão:
É aquilo que fui capaz de lhe dar
Sem você ter sido capaz de pedir

E fiz isso por mim:
Para que minhas memórias –
Nossas histórias –
Me invadam
E me façam sorrir
Coisa que volta e meia
Acontece
Sem querer
Ou pedir

Não
Eu não fui um erro
Não

Em silêncio
Pergunte de mim
Para o seu coração

Você sabe disso
E talvez justamente por isso
É que tenha tanto medo –
Tanto receio –
De sentir
E para si mesma pedir
Perdão

A vida segue
E o que é
Prossegue
Longe do toque
Dos dedos
Impresso na alma
E talvez
Mais vivo que nunca
Na negação

Volta e meia…
Volta e meia…
Volta e meia…

Café com você

Quando tudo isso passar –
Seja lá o que tiver que passar –
A primeira coisa que vou querer
É tomar um café com você

E que seja com bolo de fubá
Cheio de erva doce
Para a gente aproveitar
Tudo que a gente sempre negou
Mas que a vida sempre quis que fosse.

Pau-de-Arara – by Kiko Loureiro

Sabem quem é Kiko Loureiro? Ele é Brasil e isso se ouve na guitarra dele. Ouçam… Sintam! Maestro! MESTRE! Atualmente? Guitarrista do Megadeth. Só isso. Ex-guitarrista do Angra. Dispensa maiores apresentações.

Bônus: O batera Mike Terrana, o mesmo do post sobre a abertura de William Tell, tocando a música do Kiko. Sim, foi ele quem gravou o álbum de estúdio com o Kiko em 2005. E esse kit azul? PQP! LINDO! São muitas surrealidades juntas em uma obra só! 🙂

Alma limpa

Havia algo de despretencioso
No silêncio dos meus lábios
Nas batidas compassadas
No meu coração

Havia algo de belo
Na ausência das rimas
Na calmaria dos gestos
Nos meus pés no chão

Havia algo de precioso
Nas páginas dos livros
Nos filmes introspectivos
Na profunda reflexão

Havia algo de singelo
Nas brisa suave
Nos sonhos risonhos
No incondicional perdão

Havia algo
De novo
De novo
Eu havia.

Pigarro

Estive pensando
Em mim
Em você
Em nós
Nos nós
Na garganta –
Pigarro –
Difíceis
De engolir

Coisa pouca
Eu e você
Queijos e vinhos
Nenhuma roupa
Nenhuma pretensão
Mais nada
Mais ninguém

Eu estou bem

O dulçor
E o amargor
Da saudade
Me guarnecem
Me aquecem
Feito prece
O resto
É o resto
É o momento
No tempo
Em deixar
Por decidir.


Quem Me Dera – interpretada por Mariza

Caiu um cisco aqui no meu olho… Nesse momento, estaria ela a falar de Deus? Que música linda! Que voz! Que emoção! ❤❤❤

Composição: Matias Damásio. Atenção especial para a guitarra portuguesa… Fantástica!