“Por que o Brasil não vai Para Frente?” ou “Do Lado Errado do Modelo Cultural de Sete Dimensões”

Lucas Palhão

Trompenaars e Hampden-Turner definiram um modelo cultural em sete dimensões com base em uma pesquisa extensiva com milhares de gerentes de 28 países. Através dele, os autores analisam diversas culturas através da classificação de alguns valores básicos. As sete dimensões, definidas por seus extremos, são as seguintes:

  1. Universalismo/Particularismo
  2. Individualismo/Coletivismo
  3. Realizações/Atribuições
  4. Neutralidade/Emoção
  5. Especificidade/Difusão
  6. Direcionamento para Dentro/Direcionamento para Fora
  7. Tempo Sequencial/Tempo Síncrono

A seguir, apresento um resumo de cada dimensão e faço algumas perguntas para ajudar o leitor a encontrar as dimensões que melhor descrevem o Brasil.

Universalismo/Particularismo

No universalismo, as regras, valores e padrões são importantes. Empresas com essa cultura são rígidas com contratos e com políticas de recursos humanos. Já no particularismo, as pessoas e os relacionamentos humanos são mais valorizados. Exceções às regras para se atenderem necessidades individuais acontecem com frequência.

  • Qual dos dois lados dessa dimensão é mais profissional?
  • De que lado você colocaria o Brasil?

Individualismo/Coletivismo

Em…

Ver o post original 602 mais palavras

Os brasileiros são seus próprios algozes

Nos dias de hoje, é normal ver os brasileiros reclamando da crise, que vem sendo sistematicamente negada pelo PT desde 2008, e escondida de todas as maneiras para garantir a reeleição de Dilma em 2014.

E hoje, para a minha surpresa, me deparo com a seguinte matéria:

“O vice-presidente da República, Michel Temer, afirmou nesta segunda-feira (31), em São Paulo, que o Orçamento da União para 2016 será apresentado ao Congresso com déficit para mostrar a transparência das contas do governo federal e destacar que não há “maquiagem nas contas”.

http://g1.globo.com/politica/noticia/2015/08/temer-diz-que-orcamento-com-deficit-mostra-transparencia-das-contas.html

É interessante ler algo assim vindo do vice-presidente. Vamos nos lembrar de alguns espisódios?

http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,com-mudanca-contabil-petrobras-eleva-lucro-e-pode-reforcar-caixa-do-governo-imp-,1052639

http://g1.globo.com/economia/noticia/2015/06/balanca-inicia-junho-com-superavit-de-quase-us-2-bi-maior-desde-2011.html

Há vários exemplos disponíveis na Internet. O governo usou e abusou de maquiagens de todos os tipos, e agora surge com o discurso de transparência? Como assim? Será que alguém se esqueceu do Lula pedindo para as pessoas não pararem de consumir? E que tal os descontos na “linha branca” sem o respectivo investimento na matriz energética brasileira?

Voltando ao nome do post, acredito que isso só se dá no Brasil porque as pessoas não acompanham, ou mesmo preferem ignorar o que está acontecendo na política, na economia, etc. Todos são “entendidos”, tem suas próprias opiniões, mas de fato são raros os que conseguem fundamenta-las sem ser através de qualquer ideologia barata criada por algum vagabundo barbudo.

Coletivamente, somos um fracasso! Queremos ser um país de primeiro mundo, mas continuamos a nos comportar como povo de quinto mundo. Até quando? Ou a gente se interessa de vez pelos rumos do nosso país, que na prática são os rumos de nossas vidas, ou entregamos essa bosta de vez para os políticos que aí estão.

NÃO RECLAME APENAS! FAÇA A SUA PARTE! SEJA UM BRASILEIRO!

Computadores podem prever a Esquizofrenia com base em como a pessoa fala

Um novo estudo descobriu que uma análise de palavras algorítmica é perfeita em determinar se uma pessoa terá um episódio psicótico.

Embora a linguagem do pensamento seja deliberante, “Deixe-me pensar, eu tenho que produzir algum pensamento”, a experiência real de ter pensamentos muitas vezes é passiva. Ideias aparecem como dentes de leão; pensamentos ocorrem subitamente e escapam sem aviso prévio. Pessoas nadam dentro e fora das piscinas do pensamento de uma forma que pode sentir, paradoxalmente, sem sentido.

Schizophrenia,conceptual image Schizophrenia, conceptual image

Na maioria das vezes, as pessoas não acompanham ativamente a forma como os fluxos de pensamento vão de um para o outro. Mas em psiquiatria, muita atenção é dada a esses meandros do pensamento. Por exemplo, pensamentos desorganizados, evidenciados pelos padrões desconexos na fala, são considerados uma marca característica da esquizofrenia.

Vários estudos de jovens em risco descobriram que os médicos são capazes de adivinhar com…

Ver o post original 945 mais palavras

Cirurgia da Pequena Sarah

Lucas Palhão

https://www.facebook.com/sarahmillerwolf2015

O Karl é um amigo-irmão. Tão próximo que, nos bons tempos, a gente brigava, simplesmente, por não concordar quem é o melhor entre o Batman ou o Superman (claro que é o Batman). A Sarah é a filhinha dele, e está precisando de nossa ajuda. No átrio direto, ela tem um tumor que está crescendo e, por isso, precisará passar por uma cirurgia. Eles fizeram uma página de Facebook, onde contam a história dela, e pedem ajuda. O link está no início e no final do post. Quem puder, por favor, ajude e divulgue. Vamos conseguir o que a pequena Sarah precisa. Obrigado.

https://www.facebook.com/sarahmillerwolf2015

Ver o post original

Redes (Nada) Sociais

E então, você olha na timeline do seu amigo… Sim, aquele mesmo que pega o ônibus sem ar-condicionado com você todo o dia para ir e voltar do trabalho, e se depara com a seguinte frase:

“Se fui pobre, nem me lembro!”

A frase é a legenda de uma foto. A foto é bonita! Neve, todo mundo sorrindo, uma alegria contagiante! E aí você lembra do ônibus… E lembra que naquele mesmo dia o seu amigo tinha dito que ia começar a levar comida de casa, porque o vale-refeição não estava dando nem para comprar uma coxinha com refresco genérico.

Neve ou marmitex? Marmitex ou neve? Quem é seu amigo, afinal?

Depende… No mundo real, ele é o do marmitex. Provavelmente, jamais conseguiria viajar ou ver neve se assim não fosse. No mundo virtual, entretanto, ele praticamente mora na neve. E isso, sinceramente, mostra o quanto estamos na merda em termos de valores.

Desde quando ter ou não ter dinheiro faz de alguém melhor ou pior? As Redes Sociais são meios para nos comunicarmos com nossos amigos e nos reconectarmos com amigos do passado, ou maneira de criarmos avatares, que representam aquilo que gostaríamos de ser?

O problema das Redes Sociais é que elas se transformaram em um espaço para delírios coletivos, onde pessoas se vendem pelo que não valem e pessoas compram aquilo como verdade. “Nossa, como Fulano é mais feliz que eu! Veja que lindo o banheiro da casa dele!” Sorte que foto não tem cheiro…

A vida de todos é cheia de altos e baixos. Não use as Redes Sociais como termômetro da sua felicidade. Por detrás de rostinhos que sorriem aos pés da Torre Eiffel, pode haver histórias e desafios muito maiores do que é possível imaginar. E acredite: se você soubesse de todos esses desafios, daria graças a Deus pela sua vida “mais ou menos” e seria MUITO feliz!

Seja feliz com sua vida! Só isso! Não use como desculpa para não ser feliz a vida dos outros. E lembre-se sempre: um churrasquinho na laje pode ser tão ou mais divertido que uma festa de gala. Depende apenas do ângulo você vê a situação.

La Campanella, de Liszt, por Nobuyuki Tsujii

Quando tudo parecer que vai dar errado ou já estiver dando errado, e quando parecer que o universo está conspirando contra você, abra os braços e grite do lugar mais alto que encontrar:

“FODEU!!!”

Poucos entendem o poder libertador que tem esse grito. Primeiro, porque ele libera toda a carga negativa que está dentro de você, e segundo porque reconhecer que você está com problemas é o primeiro passo para se livrar deles.

Nunca chegamos até o fim do poço da noite para o dia. É óbvio que não estou falando de tragédias primárias (acidentes, homicídios, algumas doenças, etc.), mas, em geral, nós somos cúmplices dos nossos problemas, e de uma forma ou de outra diretamente responsáveis por eles.

Sabe aquela pessoa que não te respeita? Algum dia, ela te faltou com o respeito pela primeira vez. Talvez por amor ou por pura baixa auto-estima, você tenha simplesmente ignorado isso. Achou que ia melhorar com o tempo? Se deu mal, né?

E do seu emprego, você reclama muito? Uma bosta, né? Chefe chato, ambiente pesado, salário baixo… É um martírio sair da cama para trabalhar! Quer arrumar outra coisa logo só para reiniciar o ciclo de lamentações, não é mesmo?

A vida é assim. Em geral, pouco fazemos por nós mesmos. Ao invés de darmos um basta em relações nocivas, procuramos desculpas para prosseguir e assumimos até mesmo culpas que não temos! Reclamamos do nosso emprego, mas não tentamos nos qualificar, mudar nossa maneira de ver e se relacionar com a empresa, e muito menos consideramos como poderia ser pior estar de fato desempregado.

Da mesma forma que não se faz um perdedor da noite para o dia, um vencedor também não se faz de repente. A grande diferença é que o vencedor é persistente, tenaz, e não se conforma com os limites a ele impostos, quer seja pela vida ou pela sociedade. Ele corre atrás. Ele faz acontecer. Em geral, os grandes vencedores perderam muito e abriram mão de muita coisa para chegar onde chegaram. Com certeza não foi obra do acaso.

E por que eu disse tudo isso? Para você pensar antes de gritar o tal “FODEU!!!”. Ainda pode e piorar, e mesmo assim sair dessas situações só depende de você.

Apresento-vos o pianista Nobuyuki Tsujii. Muitos se referem a ele como o pianista cego japonês. E desde quando isso é importante? Ele é um fenômeno, e a intepretação dele dessa obra é a melhor que já vi.

Com vocês, Nobuyuki Tsujii. Ao invés de gritar “FODEU!!!”, ele tomou as rédeas de sua vida e dentro de suas limitações, muito maiores do que as da grande maioria que reclama, conseguiu ser transformar em um virtuoso. Lembre-se SEMPRE disso!

P.S.: Na verdade, a obra original é de Paganini. Liszt fez um estudo em cima dessa obra, e ele mesmo jamais consegui toca-la no andamento correto. Enfim… É material para poucos.

Sororidade

Alguém sabe do que se trata? Eu não sabia. Tive que procurar a definição na Internet.

Sororidade é o pacto entre as mulheres que são reconhecidas irmãs, sendo uma dimensão ética, política e prática do feminismo contemporâneo.

Formando uma sororidade elas se juntaram para lutar por seu direito ao voto.

Fonte: http://www.dicionarioinformal.com.br/sororidade/

Já sabem agora o que é sororidade? Então, vejam as imagens a seguir.

Soro2_snSoro1_sn

Entenderam na prática o que é? A IMBECIL que escreveu isso não se deu conta da gravidade do que estava falando. Aliás, achou o ato plenamente justificável.

E aí? Isso é feminismo contemporâneo ou loucura mesmo? O post está aberto para os comentários.

Essa matéria foi publicada no dia 18/08/2015:

http://blogs.oglobo.globo.com/pagenotfound/post/traida-ateia-fogo-no-penis-do-namorado-570004.html

Cincinnati 2015: Roger Federer mitológico!

Não bastou ser campeão do torneio pela sétima vez. Não bastou ganhar do número 2 e do número 1 em seguida. Não bastou ter 34 anos. Teve que fazer das suas. E fez muitas, várias delas. Separei dois “Hot Shots” geniais, dignos do Federer e de ninguém mais:

http://www.atpworldtour.com/en/news/cincinnati-2015-saturday-federer-murray

Que venha o US Open 2015!!! Quem sabe o 18o. Grand Slam não vem?

Boa semana para todos!

Internet das Coisas

Sua máquina de lavar, cheia de sensores, entra em contato com o fabricante avisando que está com problemas. O fabricante, então, entra em contato com a assistência técnica, que por sua vez agenda com a fechadura da sua casa um horário para resolver o problema. Possivelmente, se não estiver em casa, sequer saberá que lá estiveram para consertar alguma coisa? Exagero? Sim! Possível? Sim!

Não, eu não acredito nisso. Quer dizer… Na verdade eu até acredito, mas prefiro não acreditar no que eu acredito, pelo menos nesse caso.

E então você assiste a um ciclo completo de palestras de IoT (Internet of Things), e chega a conclusão que vai dar merda! Quer seja com o mundo dominado pela Skynet ou como nós todos servindo de alimento para algum tipo de Matrix.

“Device Democracy”? Já está logo ali! Vai ser, no mínimo, emocionante. 🙂

As Dores do Sono ou The Pains of Sleep

“Long story short”, há uma música do Iron Maiden, do álbum Powerslave, chamada “The Rime of The Ancient Mariner”, que faz 2 citações a um poema homônio escrito por Samuel Taylor Coleriedge, até então apenas um desconhecido por mim.

Como a curiosidade é meu forte, resolvi saber mais sobre esse “doido”. E esse “doido” era nada mais nada menos que um dos mais importantes escritores da literatura romântica inglesa, sendo considerado por muitos o seu “pai”, digamos assim.

E então, saí fuçando suas obras. Como o inglês utilizado é bem complexo, formal e de época, entender as obras dele foi trabalho pesado. Fui lendo, aprendendo, e indo em frente, cada vez mais impressionado com sua maneira de escrever e a beleza de seus textos.

Um belo dia, na sala de espera de um consultório médico, me deparo com uma “tradução”, ou melhor, uma adaptação livre de uma das poesias de STC para o português! E onde estava essa adaptação? Em uma revista “Caras”! Não sei quem é o autor, mas não só capturou a espinha dorsal do poema, como também o fez ficar lindíssimo em português, algo dificílimo em uma tradução.

Então, sem mais delongas, a versão dele em português, seguida da versão em inglês. No final, vou deixar alguns links para os mais curiosos, incluindo um link para a música do Iron Maiden.

UP THE IRONS! (para não perder o costume)

As Dores do Sono

Antes de no meu leito repousar,
Não tem sido meu hábito rezar
Movendo os lábios em genuflexão;
Mas em silêncio, sem afobação,
Disponho o espírito ao Amor aberto,
Na humilde fé as pálpebras aperto,
E com reverencial resignação
Nenhum desejo ou pensamento expresso –
Somente um senso de suplicação;
E, apesar das fraquezas que confesso,
N’alma um senso de benção fica impresso,
Pois sinto dentro, em volta, em tudo mais,
Saber e Força que são eternais.

Ontem à noite, entanto, rezei alto
Com angústia e agonia – uma tortura! –
Sob as formas e idéias em assalto
De multidão diabólica e perjura:
Lúrida luz, tirânica coorte,
Senso de culpa sem qualquer suporte,
E só o que desprezo, sempre forte!
Quer vingança a vontade ineficaz,
Ainda frustrada, ainda a arder sem paz!
Às repulsas misturam-se os anseios,
Fixados em objetos rudes, feios!
Fantásticas paixões! Louco furor!
Tudo no opróbrio, tudo no terror!
Expunha ações que eu ocultar devia,
Sem distinguir sequer, de tão confuso,
Se era eu que as praticava ou as sofria,
Pois tudo era remorso, dor, abuso;
E, meus ou de outros, eis na mesma lida
O pejo que à alma afoga, o horror que afoga a vida.

E assim duas noites: e a melancolia
Com seu torpor contaminava o dia.
O sono, larga benção, era então
A desgraça pior da disfunção.
Dei, na terceira noite, horrendo grito
Que me acordou desse íncubo maldito,
E, em estranha e cruel desesperança,
Chorei como se fosse uma criança;
E tendo assim com pranto conduzido
A minha angústia a um grau menos dorido –
Tal castigo – disse eu – fora adequado
A uma alma mais manchada de pecado,
Que turbilhona sem cessar o centro
Do inferno imensurável que tem dentro;
Que, ao contemplar o horror das ações más,
Sabe e abomina, mas deseja e faz!
Essas dores convêm a uma alma assim;
Mas por que, mas por que caem sobre mim?
Ser amado é-me a só necessidade,
E quem eu amo, eu amo de verdade.

The Pains of Sleep

Ere on my bed my limbs I lay,
It hath not been my use to pray
With moving lips or bended knees;
But silently, by slow degrees,
My spirit I to Love compose,
In humble trust mine eye-lids close,
With reverential resignation,
No wish conceived, no thought exprest,
Only a sense of supplication;
A sense o’er all my soul imprest
That I am weak, yet not unblest,
Since in me, round me, every where
Eternal Strength and Wisdom are.

But yester-night I prayed aloud
In anguish and in agony,
Up-starting from the fiendish crowd
Of shapes and thoughts that tortured me:
A lurid light, a trampling throng,
Sense of intolerable wrong,
And whom I scorned, those only strong!
Thirst of revenge, the powerless will
Still baffled, and yet burning still!
Desire with loathing strangely mixed
On wild or hateful objects fixed.
Fantastic passions! maddening brawl!
And shame and terror over all!
Deeds to be hid which were not hid,
Which all confused I could not know
Whether I suffered, or I did:
For all seemed guilt, remorse or woe,
My own or others still the same
Life-stifling fear, soul-stifling shame.

So two nights passed: the night’s dismay
Saddened and stunned the coming day.
Sleep, the wide blessing, seemed to me
Distemper’s worst calamity.
The third night, when my own loud scream
Had waked me from the fiendish dream,
O’ercome with sufferings strange and wild,
I wept as I had been a child;
And having thus by tears subdued
My anguish to a milder mood,
Such punishments, I said, were due
To natures deepliest stained with sin,–
For aye entempesting anew
The unfathomable hell within,
The horror of their deeds to view,
To know and loathe, yet wish and do!
Such griefs with such men well agree,
But wherefore, wherefore fall on me?
To be beloved is all I need,
And whom I love, I love indeed.

Links interessantes:
https://pt.wikipedia.org/wiki/The_Rime_of_the_Ancient_Mariner
https://pt.wikipedia.org/wiki/Samuel_Taylor_Coleridge

As citações do poema de STC são de 2:32 até 2:50, e de 5:52 até 6:23.