Vamos falar de gente? Melhor não… Vamos falar de leão!

Alguém sabe onde fica o Zimbábue? Alguém sabe como vive o povo do Zimbábue? Alguém sabe que o Zimbábue vive sob um regime ditatorial? Alguém sabe que o BNDES emprestou quase US$ 100 mi para Mugabe, ditador do Zimbábue, sendo a fortuna pessoal dele estimada em US$ 2 bi? Tenho certeza de que a grande maioria não. Aliás, acredito que alguns tenham ouvido falar pela primeira vez do Zimbábue por conta do leão. Pois bem.

Não há nada de errado em lamentar a morte de um animal majestoso como um leão. A caça esportiva, na minha opinião, é algo abominável. Entretanto, o que é mais abominável: a caça esportiva ou a morte de milhares de pessoas por conta de um regime ditatorial? Hoje, fiz esse questionamento no post de um amigo, e a resposta que obtive de uma pessoa que também postava no tópico foi um sonoro “vá se foder”.

Durante minhas andanças pelo IRC, Orkut e Facebook, aprendi que na falta de argumentos quando algum outro está sendo apresentado, o “foda-se” é a principal arma. Na cabeça dos menos preparados, é o fim da conversa. É quase algo como “Foda-se! Eu venci!” Entretanto, esse fim de conversa fala mais da pessoa do que do assunto propriamente dito. Se as pessoas costumeiramente dão aquilo que tem por dentro, entendo isso como “Na falta de educação, argumentos, de inteligência, de caráter, de sabedoria, etc., fique com o meu foda-se!” Genial, não? 🙂

Eu, assim como a população do Zimbábue, continuo sem entender a proporção que a morte de um leão tomou, sendo que vários outros animais são mortos diariamente na África sem que ninguém diga nada. Dos animais humanos (sim, também somos animais), então, eu nem falo. Morrem e há quem diga que não há nada que possa ser feito (???). Agora, pichar a casa do caçador? Faze-lo fechar o seu consultório e eventualmente faze-lo mudar de casa? Ameaça-lo de morte? Se ele cometeu um crime, que responda por ele! É assim que se faz em países civilizados, ainda que os julgamentos sejam de pessoas que não consideramos civilizadas. É assim que se resolvem as diferenças. Qualquer outra maneira não é aceitável.

O mundo não é ou pelo menos não deveria ser binário. Dar um senso de proporção nas coisas requer pensar, algo que parece entediar os brasileiros de hoje em dia. É possível gostar de leões e de humanos, dadas as devidas proporções.

Meu repúdio aos que insistem em lutar por um mundo mais burro!

Links com informações relevantes:
http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/socialismo/bndes-libera-quase-us-100-mi-para-mugabe-e-o-pobre-brasileiro-ajudando-o-rico-ditador-corrupto-africano/

https://br.noticias.yahoo.com/pobre-e-faminto–zimb%C3%A1bue-quer-saber-por-que-um-le%C3%A3o-vale-mais-que-humanos-173407166.html?linkId=16085054

Um pensamento sobre “Vamos falar de gente? Melhor não… Vamos falar de leão!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s