Chuva-me!

Se é para chover

Que chova-se!

Que minha alma seja lavada

E que o frescor da minha face molhada

Abrande minhas salgadas chagas trovoadas

E que nas curvas dessa infinita e eterna estrada

Entre uma ou outra eventual derrapada

Eu fuja dos atalhos que me conduzem ao nada.

4 pensamentos sobre “Chuva-me!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s