Traço-te

Descasco-te sem demora

Posto que chegou a hora

Madura

Momento de vir

Mas friso que não como só a casca

Mas os gomos

O sumo

O suco

O tempo e o espaço

E o bagaço?

Deixes comigo…

Reaproveito-te

As tuas curvas

Todas elas

Eu em um só gole

Sorvo-te

Traço.

Coisas que aprendi

  • Nada do que eu tenho é verdadeiramente meu. Isso inclui a família, amores, amigos, bens materiais e até mesmo meu corpo, minha vida. Tudo me foi emprestado pelo universo e pode ser retirado de mim a qualquer momento. A única exceção para essa regra são meus sonhos e os momentos que vivi, posto que fazem parte das minhas memórias, da minha alma, da minha essência.
  • Não faço nada esperando algo em troca.
  • Não julgo, mas tenho opinião. Estou sempre aberto ao diálogo, independentemente de quaisquer circunstâncias.
  • Não culpo. Os desafios da vida dos outros merecem e devem ser respeitados.
  • Não me vendo.
  • Tento sempre surpreender. Não quero ser mais um na multidão.
  • Quem eu amo, eu amo de verdade.
  • Acredito que expectativas geram frustrações. Não espero nada de nenhuma situação. Reajo com naturalidade diante de qualquer resultado.
  • Nem sempre entendo o que acontece. Quando não consigo encontrar uma razão, aguardo, espero. A vida é feita de múltiplas páginas e capítulos.
  • Desapeguei-me de tudo e de todos. Amo incondicionalmente, na certeza de que amar é a minha própria recompensa.
  • O que for meu virá em minha direção sem que eu tenha que fazer força. Se tiver que forçar, é porque não é meu. Não se trata de não lutar por aquilo em que acredito, mas de saber que para tudo há um limite.
  • O medo é uma faca de dois gumes. Para os sábios, é uma chance de pensar na melhor maneira de lidar com uma situação. Para os tolos, uma justificativa para nada fazer.
  • Perdôo sempre e incondicionalmente. Entretanto, não permito que minha capacidade de perdoar seja confundida com permissividade.
  • Jamais me vingo ou penso que a vida irá vingar-se por mim. Cubro quem o feriu com o manto do perdão.
  • Sou paciente, mas sou sujeito ativo de minha história. Sou o único responsável pela minha felicidade.
  • Sou forte com os impiedosos e covardes. Doce com os humildes, com os que precisam de ajuda.
  • Procuro ser o porto seguro na vida das pessoas.
  • Amo-me e não aceito ser backup ou opção na vida de ninguém.
  • Dou importância a quem me dá importância.
  • Não culpo os outros pelas minhas escolhas. Boas ou ruins, eu assumi o risco.
  • Confio em atitudes. Nunca em palavras.
  • Medito. Penso sobre meus problemas. Aprendi a confiar na minha intuição.
  • Espero o momento certo, mas não espero para sempre.
  • Sou bom, mas não perco um segundo que seja provando isso para ninguém.
  • Sou disciplinado e estou preparado para alcançar aquilo que desejo. Grandes recompensas advém de grandes esforços.
  • Mostro o caminho para quem precisa de ajuda, mas lembro-me sempre que o caminho dos outros não pode ser trilhado por mim.
  • Sorrio sempre. Esse é o meu ângulo mais bonito para as fotos e para a vida.
  • Depressão é excesso de passado. Ansiedade é excesso de futuro. Vivo o presente. É só ele que importa.
  • Estou por inteiro em toda e qualquer situação.
  • Não deixo que as atitudes dos outros mudem a minha essência. Minhas atitudes são o que me definem.
  • Faço pelos outros e para os outros aquilo que gostaria que fosse feito por e para mim.
  • Não finjo ser o que não sou por motivo algum.
  • Não preciso ser aceito. Eu me aceito.
  • Sou único, cheio de qualidades e defeitos. Valorizo-me e justamente por isso mudo o que considerar inadequado.
  • Nunca nego nenhum tipo de sentimento, seja ele positivo ou negativo. Vivo-os intensamente. Todo sentimento traz lições importantes.
  • Arrependo-me. Peço perdão. Faço isso de coração, mas não espero que se sensibilizem com minha mudança.
  • Agradeço por tudo. A vida é um eterno aprendizado. Cada pequena interação é uma chance de aprender algo novo.
  • Vivo intensamente. O tempo não para e a vida é muito curta. Transformo meus sonhos em realidade.
  • Não temo a morte. Temo não viver a vida.
  • Estou sempre disposto a aprender e a mudar de opinião se necessário for.
  • A vida é uma montanha russa. Estou aqui de passagem, e é melhor aproveitar ao máximo essa viagem. Há beleza e ensinamentos nos altos e baixos da vida.
  • Para cada porta que se fecha, milhares de outras se abrem. O universo conspira a meu favor. Portanto, não olho apenas em uma direção. Aquilo que desejo pode estar em uma direção diferente da que estou focando.

P.S.: Não tenho dúvidas do que outros, muito mais sábios do que eu, já disseram tudo isso antes de mim. Entretanto, achei importante compartilhar.

 

Denúncia – MV1 Icaraí – Ainda suspenso do Facebook

Para quem não sabe, continuo suspenso do Facebook. Atualizações, portanto, só por aqui.

ainda1

ainda2

Post original: Denúncia – Escola MV1 Icaraí – Niterói/RJ

 

Denúncia MV1 – Homofobia???

A escola, alguns professores, alguns pais e ativistas (aproveitando-se da situação), resolveram simplificar o problema: o pai é homofóbico. Em assim sendo, todo e qualquer argumento que eu utilize será desqualificado por conta do meu suposto preconceito (homofobia). O nome disso? Argumentum ad hominem: falácia que se caracteriza quando determinada pessoa responde a um argumento com críticas negativas ao seu autor e não ao conteúdo apresentado.

Uma falácia consiste num argumento falso, uma ideia que parece transmitir uma verdade ou discurso válido, mas não apresenta bases lógicas e coerentes.

A falácia do tipo ad hominem pode ser classificada como um desvio de atenção, tirando o foco do assunto em discussão para algum aspecto que não tem qualquer relação com a proposição apresentada.

Maiores detalhes em https://www.significados.com.br/ad-hominem/.

Objetivo, então, é transformar a discussão em algo do tipo Fabio “Homofóbico” Ottolini vs. MV1 Paz e Amor. Vamos analisar isso em detalhes.

keithharinghomosexualidad__small

O trabalho acima é de autoria do Keith Karing. Gostou? Não gostou? Não importa. Você pode perfeitamente achar o Keith Haring o maior artista do mundo, só que não é isso que estamos discutindo.

O MOTIVO DE MINHA INDIGNAÇÃO É A INTRODUÇÃO PREMATURA DE UM ARTISTA CONHECIDO PELO SEU TRABALHO HOMO-ERÓTICO E ZOÓFILO, ALÉM DO SEU ATIVISMO SEXUAL E APOIO À PROSTITUIÇÃO. TUDO ISSO EM SALA DE AULA PARA UMA CRIANÇA DE 9 ANOS.

E se fosse um artista representando imagens hétero-eróticas?

A MINHA RECLAMAÇÃO SERIA EXATAMENTE A MESMA! A QUESTÃO NÃO TEM NADA A VER COM ORIENTAÇÃO SEXUAL, MAS SIM COM A EROTIZAÇÃO PREMATURA DAS CRIANÇAS, SEM CONTAR COM APOIO À PROSTITUIÇÃO E À ZOOFILIA!

Há tempo certo para tudo. Simples assim.

Post original: Denúncia – Escola MV1 Icaraí – Niterói/RJ

Ancelmo Gois – O Globo – Denúncia MV1

Pai de aluna de 9 anos reclama de ‘conteúdo sexual’ de aula de Artes em Niterói

blog_ancelmo

Infelizmente, a escola não foi sábia o suficiente para lidar com o contraditório. Vão pagar por essa intransigência alunos, pais e professores.

Outra coisa que me chamou a atenção foi o “Calma, gente!” Talvez o Ancelmo não saiba que eu tentei resolver esse assunto amigavelmente. O que seria eu ficar calmo nesse caso? Deixar de exercer meu direito como pai e jogar a sujeira para baixo do tapete? Lamento, mas esse não é o meu perfil. Covardia é algo que desconheço.

Post original: Denúncia – Escola MV1 Icaraí – Niterói/RJ

Nova Denúncia – MV1 Icaraí – Niterói/RJ

Acabei de entrar em contato com o MV1 com relação a prova de Artes de minha filha. O MV1 informou que “ela não irá fazer a prova porque os pais pediram”. Esclareci não era esse o caso. Eu havia dito apenas que eu não queria que ela fizesse a prova sobre Keith Haring. A Sra. Kayla (assistente da coordenação), entretanto, afirmou que como ela não fará a prova (decisão do MV1), receberá NOTA ZERO. Disse ainda que ela “ficará com a nota da autoavaliação feita pelos próprios alunos, mas que como ela faltou muito…

Acho que agora ficou mais claro com quem eu estou lidando. No pleno exercício de meu direito de pai, vejo minha filha de 9 anos ser penalizada pelo MV1 em represália a minha atitude, o que demonstra o completo despreparo e a falta de sensibilidade da direção e da coordenação pedagógica, que insiste em violar diretamente a Constituição Federal, o Estatuto da Criança e do Adolescente, a Convenção Americana de Direitos Humanos e a Declaração Universal de Direitos Humanos. Pior do que isso, só mesmo ver a tristeza de minha filha diante dessa situação. Esse é o preço que se paga por exigir o cumprimento das leis no Brasil. Preço extremamente alto, diga-se de passagem.

Portanto, senhores pais, professores e alunos, não venham me cobrar diálogo. O diálogo se tornou IMPOSSÍVEL.

Post original: Denúncia – Escola MV1 Icaraí – Niterói/RJ