MV1 Icaraí – Processo civil e criminal

O colégio MV1 Icaraí está me processando civilmente: R$88.000,00 por calúnia e difamação no caso do Keith Haring. Em paralelo, devo ir ao JECRIM para responder por calúnia e difamação na esfera criminal. Dá trabalho ser pai, viu? Esse é o tal “colégio do diálogo”. Segundo consta nos autos, perderam alunos por minha causa. Claro que não foi por eu expor a verdade depois de INÚMERAS tentativas de resolver o problema amigavelmente. É que eu sou malvadão, entendem?

EDIÇÃO: Os autores da ação são o MV1, o diretor Nevio, a coordenadora Luciene e a professora Graziella.

E aproveito para compartilhar algo que postei no Facebook:

Quem nunca sonhou em levar a sua filha de 9 anos a um museu desses? “Jamais faria isso!”, disse o pai preocupado. “Que absurdo é esse? Já me agride enquanto adulta! Imagine a uma criança?”, disse a mãe orgulhosa de sua postura. Pois bem…

Não é preciso ir a museu LGBT algum para que esse artista, Keith Haring, chegue até a vida de sua filha. Basta levá-la até o colégio. Sim, é isso mesmo! E lá, vão mostrar corações e coisinhas bonitinhas para ela. “Keith Haring, através do grafite, faz uma ligação direta das pinturas rupestres com a arte moderna. Vejam que corações lindos!” E você, pai e mãe, acreditando que a escola sabe o que faz, achará os corações lindos! Talvez compre até um livro para a sua filha! E na mente dela, será plantada a semente: o artista do amor. Aquele dos corações, sabe?

Não será dito na escola, obviamente, que se trata de um artista cujo foco era a arte homoerótica, zoofílica, etc. Também não falarão que ele era a favor da prostituição. “Isso é coisa que pais sem ter o que fazer inventam!” Na dúvida, também dirão: “Como pode um pai saber ou achar que sabe mais do que uma escola inteira?” E por aí vai…

Mas o tempo passa… E com a semente devidamente plantada dentro da criança, bem na face dos pais, que simplesmente foram subjugados e/ou optaram pela omissão diante do politicamente correto, é só uma questão de tempo. O mundo moderno é isso: pais sem valores, pais sem tempo, pais que não cumprem seus deveres enquanto pais. E ainda assim esperam um mundo melhor.

27459671_10155161442035069_5171831683831742473_n27336580_10155161442255069_976946234059680798_n27540871_10155161442280069_3925133077316965055_n

Post original: Denúncia – Escola MV1 Icaraí – Niterói/RJ

Eu rumo

Hoje, reparei nas nuvens

Há tempos não fazia isso

Céu azul de verão

Nuvens como se fossem de algodão

Sendo levadas pelo vento

Deixou-me curioso a sua leveza

Enquanto nuvem, à mercê do vento

Indo como se soubesse a direção

Ignorando sua própria existência

Seu motivo e razão

Nuvens claras nos dias de sol

Escuras nos dias de chuva

Livres

Felizes

Indo para não se sabe onde

E pensei que eu também gostaria de ser nuvem

Eu queria ir…

Ir…

Mundo afora, sem porque ou motivação

Descobrir aonde o vento faz a curva

E ser insubstancial, nada urgente

No inverno e no verão

Mas há quem nasça para ser nuvem

E há quem nasça para ser vento

Eu sou vento!

Da brisa suave

Até qualquer grande tormenta

Eu carrego

Eu levo

Eu movo e removo

Eu faço o que tiver que ser feito

Eu simplesmente não me contento.