Nuíssima

E ela que veio naturalmente

E casualmente se despiu

Ficou nua, nuíssima de alma

Coisa bonita assim nunca se viu

 

Mas ela insiste em andar vestida

E isso só sabe quem nela já viu

A pujança de seu coração petulante

Que desde sempre me sorriu

 

E entre as fugas das lembranças

E na presença do que não partiu

Foge de si mesma feito criança

Feito flor que ainda não se abriu

 

Mas a verdade insiste em mostrar-se

Nos detalhes em que na vida não fingiu

Que rondam sua mente tortuosamente

Na saudade do que ainda nem existiu

 

E nesses versos sinceros e ritmados

Feitos da sina do qual nunca fugiu

Ri para si mesmo o perspicaz poeta

De quem se foi e nunca partiu.

dejar-ir-es-parte-de-tu-historia-no-de-tu-destino-4

3 pensamentos sobre “Nuíssima

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.