Consultoria: sim ou não?

Eu tinha uns 20 e poucos anos quando fui na casa de um amigo de um amigo para tomar um banho de água doce antes de voltar da praia. Quando cheguei, vi uma senhora super nervosa porque não conseguia conectar seu computador na Internet (sim, era via telefone). Como eu era da área (trabalhava em um provedor de acesso), o meu amigo logo disse:

– Senta lá e resolve, Ottolini!

Eu só queria tomar um banho de água doce, mas sabem como é… E lá fui eu parar na frente do computador. Quando a senhora me mostrou a mensagem de erro, eu percebi que era a MESMA mensagem de erro que eu estava recebendo no meu computador havia duas semanas e que apenas no dia anterior eu tinha conseguido resolver.

Com uns 5 clicks de mouse, resolvi o problema e disse tchau de longe, me encaminhando para o carro. E lá de dentro, ouvi uma pessoa gritando:

– Ei, ei, ei!!! Você resolveu o meu problema!!! Você não vai embora!!! Vai ficar na piscina e vou servir umas cervejas e aperitivos para vocês.

Achei o máximo, mas não me dei conta do tamanho do que tinha acontecido. Sem perceber, construí toda minha carreira em cima desse episódio. Explico.

Hoje, eu sou um consultor. Todo mundo diz que consultores não servem para nada e que são caros. Entretanto, é muito comum ver as pessoas mudarem rapidamente de opinião quando o “bicho pega”.

Mais tarde, em determinado momento da minha carreira, fui chamado para ajudar um “negócio quase centenário que estava falindo”. Ninguém queria contratar um consultor. Aliás, já haviam contratado um consultor, mas nenhum resultado prático apareceu. Só me aceitaram porque eu havia sido muito bem recomendado.

E lá cheguei eu, pronto para “apanhar” (sim, quem trabalha no lugar, em geral, não gosta da presença de consultores com medo de perder o emprego), e me deparei com uma situação inusitada: descobri que o negócio estava vendendo certos produtos com markup negativo! Algo como comprar um produto por R$100,00 e vender para o consumidor por R$90,00 (estou simplificando o problema só para efeitos de entendimento).

Dei o diangóstico. Não acreditaram. Fiz uma apresentação e provei matematicamente o que eu estava falando. Ficaram sem ação. Efetuaram as mudanças, e para a surpresa deles (não minha), o faturamento subiu 22% de um mês para o outro. Fui contratado por um período mais longo e acabei descobrindo mais coisas erradas, o que fez a situação do negócio melhorar ainda mais.

Consultoria é algo caro? A resposta sob o ponto de vista financeiro é sim. Sob o ponto de vista econômico, não! A pergunta que deve ser feita é “quanto custa não contratar a consultoria de quem sabe o que está fazendo?”

Há profissionais medíocres? Sem dúvida alguma. Só que há os sérios também e a principal função deles é acabar com a miopia dos donos do negócio. Com raríssimas exceções, quem criou os problemas não é capaz de soluciona-los sem ajuda externa. Isso é um fato.

Ainda duvida? Tudo bem. Faz parte.

Hoje, me lembro daquele dia na praia como um dia divino, que literalmente mudou a minha vida. E mais: ficou a lição de que quando a gente ajuda o outro, o retorno aparece de uma forma ou outra. Seria a tal Lei do Retorno?

Pensem em uma consultoria séria como um investimento e nunca como uma mera despesa ordinária.

Unleash the power of your business!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.