A quatro mãos – Lado a Lado

Hoje, publico neste blog algo inédito: uma poesia feita a quatro mãos. É a realização de um sonho, de um desejo permanente, e que se Deus quiser se transformará em muitas e muitas poesias.

Eu estou profundamente honrado e emocionado por fazer essa publicação. O amor é realmente a maior coisa que existe e a única que de fato importa. Espero que essas palavras, as nossas palavras, consigam traduzir isso de alguma forma. Que seus corações sejam tocados por um dos maiores presentes que já recebi em toda a minha vida.

Lado a Lado

Ao lado dela
De tudo
Sempre muito
Eu sentia
E dentro
De seu corpo desnudo
De suas carnes
Eu me vestia

Ao lado dele
Era o mundo
Do avesso
A linha torta
O absurdo
O universo
Que eu não mais
Conhecia

Ao lado dela
Abraços e beijos
Amores e desejos
Como nunca antes
E tudo é sempre novo:
Vidas que se mostram vivas
Almas que cantam embevecidas
Saudades lancinantes

Com ele e só com ele
O corpo fala alto
Os gestos superlativos
Entoam sutilezas
Da fome de amar
Do desejo líquido
Das línguas não ditas
Do medo e da coragem
Da eterna entrega

Com ela e só com ela –
A única para mim bela! –
Minha vida se encaixa
E faz sentido
É a chama que me faz vivo
O desejo que só tem um nome
Por ela eu sinto fome
E de seu amor serei sempre cativo

E ele é quem me descobre
Lê, interpreta
Traduz em palavras
E beijos
O que sinto
Quem inaugura
Desejos desconhecidos
Quem instaura
Novos rumos
Quem me convida
A um novo destino.

7 pensamentos sobre “A quatro mãos – Lado a Lado

Os comentários estão desativados.