Ao amor, a vida

Que nossos encontros não sejam obras do acaso, mas prioridades inadiáveis.

Que nossas problemas não sejam barreiras intransponíveis, mas degraus na escada que estreita nossos laços.

Que nossos corpos não apenas se deitem, mas que se fundam em um só.

E que cada adeus seja apenas um até logo, ainda que no leito de morte.

Ao amor, a vida. A todo o resto, a sorte.

Um pensamento sobre “Ao amor, a vida

  1. Pingback: Ao amor, a vida | Mil ideias, Uma mente

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.