Chris Impellitteri – 17th Century Chicken Pickin (cover)

Eu não sei nem o que dizer… Fico só babando e pensando no quanto as pessoas perdem se limitando a ouvir o que é mainstream (toca nas mídias de massa).

Por detrás dessa música, há ANOS de estudo. Não vou nem falar do Implellitteri (GÊNIO!!!), mas até mesmo de quem executa a obra. É para aplaudir de pé!

Pergunta: na sua concepção, é música clássica ou não é? Não deixe a distorção da guitarra enganar os seus ouvidos…

P.S.: Chicken Pickin é uma técnica utilizada por alguns guitarristas que mescla o uso da palhetada com dedilhado. É uma técnica híbrida e bem complexa.

É ou não é?

As pessoas tendem a valorizar o difícil, o improvável, o inatingível. Muitos, inclusive, se apaixonam por esta busca frenética e chamam isso de amor.

Não. O amor não é e nem precisa de nada disso. O amor chega fácil. É claro, objetivo e direto. É óbvio. Não precisa ser convencido. O amor não joga. É leal. É fiel. É recíproco. É respeitosos, íntegro e integral. É correspondido. É leve. Eleva. Faz crescer. E, sobretudo, o amor nunca se coloca ou permite ser colocado em uma posição na qual possa se perder ou mesmo deixar de existir.

Nem por isso dispensa manutenção, claro. Amor é dia a dia. Amor é cotidiano. Amor é no detalhe e no todo. Amor é jornada. Amor é estrada. Amor é pé no chão.

Se for muito complicado, não é amor. É alguma outra coisa que você resolveu chamar de amor para preencher algum vazio. E se você não estiver inteiro, vai chamar qualquer porcaria ou migalha de amor e vai sofrer horrores por conta disso.

É ou não é amor? Só você é capaz de responder essa pergunta.

Como eu sou

Deixa eu te dar um beijo de despedida,

Porque eu vou ali viver a vida

Como a gente sonhou.

Vou suar minha camisa,

E vou contar minhas moedas,

Vou procurar nos bolsos das calças

Se necessário for.

Mas não, não vou falar de saudade,

Só de felicidade, de noites viradas,

E de histórias de amor.

E só quero que quem esteja ao meu lado

Tenha o cuidado de amar não o que tenho,

Mas o homem que eu sou.

Amar quantas vezes forem necessárias

Fala que não vai amar de novo. Jura que não vai se entregar mais uma vez. Diz que não quer nada sério. Faz promessa e tudo mais. E chega a vida, que não tem nada a ver com isso, e fala assim:

– Parou com a crise existencial? Tá aqui, ó…

E vira adolescente. Solta fogos por dentro. Volta a sonhar. Compra flores e bombons. Faz cartão. Escreve poesia. Faz juras de amor. Se entrega mais uma vez…

É possível viver sem amar? Talvez, mas as melhores histórias são as histórias de amor. Não viver essas histórias, quantas forem necessárias, é um grande desperdício. É deixar um monte de páginas em branco no livro da vida.

Viva!

Dia dos Professores – 2021

Acompanho de perto as aulas virtuais de minha filha. Muitas vezes, sem perceber, acabo participando de alguma forma das aulas, o que me fez relembrar ou mesmo reaprender uma série de coisas.

É inegável o esforço da grande maioria das escolas e professores no sentido de se reinventar durante a pandemia, fazendo o possível e até mesmo o impossível para garantir a integridade física, psíquica e intelectual de seus alunos. Aplaudo de pé.

Por outro lado, também convido pais e responsáveis a refletir sobre escolas que tentaram minimizar os impactos da pandemia na vida e na morte de seus alunos, professores/profissionais e suas respectivas famílias. Escolas que não prezam pela vida merecem a matrícula de seus filhos? É uma pergunta retórica e muito séria, enfim.

Feliz Dia dos Professores!!! Vocês são inesquecíveis e fundamentais!!! Guerreiros quase que imortais, ainda que extremamente mal remunerados e pouco reconhecidos, vocês são absolutamente imprescindíveis nas vidas dos brasileiros. Agradeço em meu nome e em nome da minha família. Obrigado! ❤

Aniversário da minha mãe – 2021

– Dose de reforço da vacina (ela quis tomar no primeiro dia possível, que calhou de ser no dia de seu aniversário).

– Hambúrguer, batata frita e Coca Zero (ela escolheu).

– Um bolo de chocolate (ela também escolheu).

– Um monte de abraços e beijos (ela não teve escolha nesse caso).

Feliz Aniversário, minha mãe! Já são 74 anos muito bem vividos! Obrigado pelas suas qualidades e seus defeitos. Obrigado por me amar e justamente por isso me dar umas broncas mais do que merecidas. Obrigado pelos princípios e valores que herdei de você e que uso como bússola moral na criação de minha filha! Obrigado mesmo, de verdade!

Que Deus te abençoe! Te amo!

P.S.: Sua neta mandou dizer que também te ama!

P.S. 2: A gente briga, mas a gente se ama. ❤

Conjugados

Há um poema
Entre tuas pernas
Que foi escrito
Com minha língua

Há um poema
Em tua face
Que foi escrito
Com tua caligrafia

Há partes que não cabem
Há partes que não entram
Cheiros e gostos rimados
Por fora e por dentro

Nestes saraus devassos
Nossa história escrevemos
Lirismo que não se cala
Que ou grita ou está gemendo.