Caprice No.24 – Paganini – Su Meng

– Fala! Curti muito aquela música que você me mostrou! Me manda as cifras?
– De qual música você está falando? A do Paganini?
– Sei lá! Aquela música clássica ou sei lá o quê…
– Ah! Então, você não quer as cifras… Quer a partitura, né?
– Aquele papel cheio de bolinhas? Nah… Manda as cifras! Muito mais fácil!
– Hum… Vou fazer melhor, então. Vou te mandar um vídeo. É só prestar atenção e fazer igualzinho no seu violão, beleza?
– Show! Era isso que eu queria. Vou tirar a música ainda hoje!
– …

Eis o vídeo:

Excessos – declamada por Michelle Cruz

Conversei com a Michelle sobre a cadência que ela dá as minhas poesias. Ela acha que estou exagerando, mas é como se ela dessa uma nova roupagem ao que escrevi, transformando as coisas que escrevo em algo novo. Confesso que amo os resultados!!! 🙂

Mais uma vez, obrigado, Michelle!!! 🙂

Poesia original: https://agorababou.com/2019/11/28/excessos/

Obrigado

Não sei se deveria te agradecer
Por mostrar que minha fé
Meus sonhos
Meus planos
E tudo que há de maior em mim
Faz sentido dentro de ti também

Não sei se deveria te agradecer
Pelas nossas conversas sem fim
Pelos nossos sorrisos esfuziantes
Pelo brilho nos nossos olhos risonhos
Pelos toques abertamente pretensiosos
Que se fizeram sentir até mesmo em nossos corações

Não sei se deveria te agradecer
Por amar e ser amado
Por desejar e ser desejado
Por querer e ser querido
Pelos abraços que damos em nossas almas
Pelo fogo da paixão que esquenta e revigora nossos corpos
Pela total e absoluta entrega, afinal

Não sei se devo te agradecer
Por cada segundo que passamos juntos
Pela deliciosa sensação de estarmos entrelaçados diante do futuro
Por deixar que saibas quem eu sou
Por me deixar saber quem és
Por abrir as cortinas de nossas vidas

E justamente por não saber
Se devo agradecer ou não
Eu agradeço
E de ti nunca me esqueço
Pois tudo parece pouco
Diante da imensidão do que temos vivido

Eu agradeço

Eu agradeço

Na dúvida
Eu agradeço

Pelas certezas que banham nossos corações
Pelo fim dos talvezes e dos porquês
E ainda que seja redundante
Eu agradeço
Pelo direito de sentir e poder dizer que te amo

Eu te amo
E é um privilégio te amar e ser por ti amado.