Somos ou não somos uma nação?

Um Brasil dividido no meio de uma pandemia. Todos estão certos. Todos estão errados. A única coisa que deveria nos unir, que é a pandemia, deixada de lado, invisível.

Aprendi desde muito cedo que para que os gritos cessem também é preciso parar de gritar. A quem interessa esse pandemônio que vivemos? Quem é o homem que, de cima de um cavalo, clama por respeito sem respeitar? Quem são os senhores da justiça que, ao invés de usarem suas capas feito super heróis, agem em causa própria? Quem são os leitões que, no meio de todo essa lama, criam leis que eles mesmos não se sentem na obrigação de respeitar? E quem somos nós, divididos por crenças diversas, ao ponto de não conseguirmos enxergar no outro alguém que também precisa de paz, ainda que sequer tenha se dado conta disso?

O Brasil está em chamas. Há Neros de todos os lados, de todos os tipos. O vírus passeia e permeia. Mata, indiferente.

Embainhem suas espadas, senhores do poder! Não haverá espólio algum nessa guerra suja que ninguém conseguirá ganhar. O exemplo precisa vir de cima, sim! É chegado o momento de mostrarem que são homens e, acima de tudo, BRASILEIROS. É chegado o momento de deixarmos de ser inimigos de nós mesmos.

Deus acima de tudo. Brasileiros somos todos. E sem brasileiros, não há Brasil.

Somos uma nação ou não?

Liberte-se!

Querer ser amado por quem não sabe o que é o amor é uma dolorosa maneira de morrer um pouco todos os dias. No amor não há espaço para amadores e muito menos para quem ama dores. Deixe ficar na sua vida só quem for profissional da área. 🙃🙂😉

Menininha

Eu te chamava assim

Não tinha a ver com a tua idade
Mas com a santidade
Com que eu te olhava
Com que eu te via

Tu eras
Quem eu queria cuidar
E em ti me achar
Mais homem
A cada dia

Não se tratava
De domínio
Mas de fascínio
Admiração
Respeito
Amor
Afeição
Amor

Já disse amor?

Eras tudo
E hoje –
Eu mudo –
Nada muda
Nada mudou

Sinto saudades
Dos fins de tarde
Onde eras uma menininha
E eu
Todo teu

Sinto saudades
Que algumas vezes arde
Feito chama invisível
Atemporal
Que nunca queimou
Ou doeu

Posto que o amor
É assim:
Menininha para mim
Mulher infinita
Amor da minha vida
Não há lágrimas
Em teu nome:
Só bem querer.

Seja o que Deus quiser!

Com os casos de COVID-19 em franco crescimento, a reabertura da economia é anunciada em quase todo o Brasil. Saímos de um lockdown que de fato nunca existiu, de um distanciamento social que nunca foi feito, e agora entramos na fase de fingir que nada está acontecendo. Isso em pleno crescimento de casos e óbitos no Brasil! Sequer chegamos ao platô da pandemia no Brasil…

Parabéns aos envolvidos!

Hão de florir

Na estrada
Que leva ao nada
Encontrei-te
A seguir

Na estrada
Que leva ao nada
Encontrei-te
E precisei partir

É porque preciso
Chegar
Ser
E estar
E na estrada
Que leva ao nada
Não posso existir

Mas se quiseres
Chegar
Ser
E estar
Abandona a estrada –
A mesma que leva ao nada –
E outros caminhos hão de florir.