Enlaçados

Ela não sabia atar nós
Ela só sabia fazer laços

Mas ela queria saber de nós
E juntos criamos laços

Laços não são como nós
Nós é que somos os laços

E os laços que estão em nós
Feito nós, não se desatam.

Tudo na medida

Na medida em que tudo se passava
Percebi que tudo se passava na medida

Cada coisa
Cada coisinha
Cada coisícula…

Tudo de propósito
E com propósito

Tudo na medida

Menos os sorrisos, claro:
Para esses não há medida.

Feito um bom vinho

Que o brinde distante
Se torne apenas
Mais um motivo
Para brindarmos ao vivo
Pelo que achávamos
Que tínhamos
Pelo que achávamos
Que não precisávamos

Tempos difíceis
Corações tristes
Almas amoadas…

Mas eu estou aí
Tu estás aqui
Não percebes?
É tudo temporário

E talvez seja esse
O grande detalhe:
Tudo é temporário
Nada é de fato nosso
Mas o que sentimos
É do mundo
É o próprio mundo
É a nossa vida
É a nossa coragem

E que nossos corações –
Ora desnudos –
Encontrem-se em sonhos
E que acordemos risonhos
Com menos dúvidas
E com algumas –
Ainda que poucas –
Certezas
Que espantem as tristezas
Feito fartos goles
De um bom vinho.

Duvidando

Não escrevo para ler
E lembrar no futuro
Escrevo para esquecer
Do agora
No agora

Cada gota de tinta
Cada rima
Cada verso
Cada estrofe
Fazem-me esquecer

Tudo é desabafo
Descarrego

Coisas que quis dizer
E não pude
Coisas que tentei entender
E não consegui
Coisas minhas –
Só minhas –
Palavras sobre mim
Palavras por mim

E no futuro
Ao reler o que escrevi
Tudo parecerá estranho –
Porque de mim
Serei um estranho –
Perdido
Nas minhas próprias memórias
Duvidando do meu passado
Por tê-lo documentado
E ainda assim
Não mais o sentir.

Liberte-se!

Querer ser amado por quem não sabe o que é o amor é uma dolorosa maneira de morrer um pouco todos os dias. No amor não há espaço para amadores e muito menos para quem ama dores. Deixe ficar na sua vida só quem for profissional da área. 🙃🙂😉

Hão de florir

Na estrada
Que leva ao nada
Encontrei-te
A seguir

Na estrada
Que leva ao nada
Encontrei-te
E precisei partir

É porque preciso
Chegar
Ser
E estar
E na estrada
Que leva ao nada
Não posso existir

Mas se quiseres
Chegar
Ser
E estar
Abandona a estrada –
A mesma que leva ao nada –
E outros caminhos hão de florir.

Purple Rain – Prince

Mais uma versão absurda dessa música absurda!

Dessa vez, com Martin Miller & Mark Lettieri, ao vivo, no estúdio.

AGORA BABOU

Em homenagem a um dos maiores compositores, músicos, guitarristas e intérpretes de todos os tempos.

Logo abaixo, o MESTRE John Petrucci com sua interpretação da música. É de arrepiar!

RIP, Prince! VOCÊ FAZ FALTA!

Ver o post original

Liberdade – Declamada por Michelle Cruz