P.S. 34

Ela diz para todos que sou o grande erro da sua vida, e ainda assim ela erra compulsivamente todas as sextas e todos os sábados (domingos a combinar) desde que nos conhecemos.

Vim trazer verdades 50

Enquanto você não se afastar do que não te serve, o que te serve não tem como se aproximar. Leia de novo. Mais uma vez. Entendeu?

Liberte-se! Aceite as coisas e as pessoas como elas são e que você não consegue mudar ninguém a não ser a si mesma. Vá ser feliz! Sim, ser feliz é uma escolha que depende principalmente de você.

Exemplo prático:

“Quero encontrar o amor da minha vida!”, mas está em um “relacionamento” (entre aspas mesmo) 100% focada em alguém que não está nem aí para você, vivendo basicamente de migalhas. Como alguém que esteja de fato interessado em você vai se aproximar?

Se olhe no espelho. Respire fundo. Sinta-se. Ja reparou o quanto você está estressada por conta desse “relacionamento” (entre aspas novamente)? Como é que alguém vai ver o teu brilho se você está apagada em todas as outras direções que não a do “relacionamento” (mais aspas, infinitas aspas). Esquece! Já deu!

Não reclame daquilo que você permite e que já virou até um costume perverso contra si mesma. Tire as aspas da sua vida!

P.S. 32

Com o tempo, você descobre que perdoar a si mesmo pelo que permitiu que os outros fizessem com você é muito mais difícil e complexo do que perdoar os outros.

Vim trazer verdades 48

Não está no outro o que você precisa para ser feliz. A felicidade é um fenômeno interno, e no dia em que você se der conta disso, vai repelir naturalmente da sua vida tudo que coloque a sua felicidade em xeque.

Vim trazer verdades 47

Se eu pudesse dar um conselho para alguém, seja essa pessoa quem for, o conselho sempre seria o mesmo: conheça-se profundamente e ao extremo, em todos os detalhes.

Conheça as suas qualidades e os seus defeitos. Conheça como você opera, como você pensa, como você age. Saiba o que você faria e o que não faria. Saiba quais são os seus valores, quais são as suas crenças. Saiba o que você aceita e o que você não aceita. E, acima de tudo, saiba o que você é e também o que você não é.

Porque a vida vai te dar muita porrada. Vão jogar lixo na sua cara. Vão fazer acusações relacionadas à coisas que você sabe que jamais faria. Vão dizer coisas sobre a sua pessoa que você simplesmente sabe que não é. E isso vai acontecer no trabalho, em rodas de amigos, em relacionamentos românticos, na igreja, e em qualquer outro ambiente ou lugar.

Antes de perder seu tempo se justificando ou se explicando, consulte quem você é. A acusação merece defesa ou quem o acusa já o condenou? A ofensa merece o seu desequilíbrio emocional? É bem provável que não e isso por si só já é uma resposta. Aliás, o silêncio costumar ser a melhor das respostas.

Da próxima vez que tentarem de tirar do sério por qualquer motivo que seja, aprume-se. Quem se conhece não concede ao outro o direito de definir ou mesmo insinuar algo que seja diferente da sua essência. Quem se conhece não se abala com o julgamento dos outros.

Conheça-se. Esse é o único caminho.

Vim trazer verdades 46

Ninguém precisa de permissão para ir embora da sua vida. As pessoas simplesmente vão quando acham que devem ir, e para aqueles com o mínimo de dignidade, a decisão do outro deve ser obrigatoriamente respeitada. Quer ir? Vai.

É claro que, nessas horas, a gente tenta se vender como a melhor criatura do mundo: “Você nunca vai encontrar alguém que te ame feito eu!” é uma das mais clássicas (e também uma das mais ridículas). O ponto é: será que as pessoa quer de fato alguém que a ame como você a ama? Desde quando você virou a personificação do amor? Só você sabe amar? E se ela achar a sua maneira de amar um saco?

Fato é que, quando alguém se vai, salvo algum acontecimento agudo (uma traição, por exemplo), a pessoa já estava pensando em ir há tempos, por mais que isso não estivesse claro para você. Por algum motivo, a pessoa já estava achando que não valia mais a pena, e calhou de ser naquele dia d, na hora h. Ela só colocou para fora o que já vinha sentindo. Não há muito a ser feito. Aliás, quanto menos for feito, melhor, mas isso já é assunto para outro texto…

Não adianta tentar argumentar. “Se você for embora, nem adianta me procurar depois!” Você realmente acha que a pessoa está indo embora pensando em te procurar depois? Ela quer mais é nunca mais olhar na sua cara! Pode ser algo transitório, passageiro? Pode. E se não for? Vai ficar esperando para sempre?

A vida é curta. Ao invés de ficar se matando tentando entender o que você fez de errado (quem disse que você fez algo de errado?), o negócio é aceitar a separação numa boa, na certeza de que da mesma maneira que aquela pessoa não te quer, há gente te querendo, muito embora essa seja a última coisa que esteja passando na sua cabeça nesse momento.

Para resumir: não meça o seu valor por conta de quem vai embora. Aceite. Faz parte da vida. Sofra, chore, tome um porre, mas levante-se. A vida continua. O que você tem a oferecer pode não ser o que uma pessoa quer, mas pode ser exatamente o que outra quer. Muitas vezes, é apenas uma questão de perspectiva.

Isso não quer dizer que você não tem o que melhorar enquanto pessoa. Tenho certeza que tem! Todo mundo tem! Por isso, use esse momento para fazer uma análise profunda dos seus erros e acertos durante o relacionamento. É uma oportunidade única de evolução e de aprimoramento pessoal.

A fila anda! Lembre-se sempre disso! E vai que nessa sua evolução, a tal da pessoa que te deixou resolve entrar na fila novamente? E se isso acontecer, apenas saiba que vocês não vão estar voltando. Vão estar recomeçando.

P.S.: Fim é fim! Tudo que vier depois disso é recomeço (novo começo, nada de “mais do mesmo”).