Cabelos brancos

A senhora esperava os carros pararem

Para que ela pudesse atravessar a rua.

Tantos carros –

Muitos carros! –

Nenhum deles a sentia.

A pressa deixava todos cegos.

Cegos que viam cabelos brancos,

Dificuldades nos movimentos,

E anos e mais anos e mais anos.

E a senhora ali,

Desnorteada,

Diante da ingratidão do mundo

Que ela mesma ajudou a construir.

Índio Behn – esse é o cara!

Para quem não conhece, o Índio Behn me parece ser um dos maiores humoristas brasileiros da atualidade. Ele interpreta várias personagens (a Dra. Rosangela é uma delas) e a risada é inevitável! Faz bem para a alma! 🙂

Estou torcendo para que ele venha a Niterói o mais rapidamente possível. Tenho certeza de que vai lotar o teatro várias vezes, assim como já vem fazendo em várias outras cidades.

Divirtam-se e prestem muita atenção no Yoga Vegano. 😄😄😄

Home – Daughtry

Sempre gostei muito desta música. A voz dele é linda e há arranjos de cordas, um violão de aço e uma guitarra que sabe ser pesada quando é preciso.

Em paralelo, alguns versos desta música sempre me chamaram a atenção:

“Be careful what you wish for
‘Cause you just might get it all
You just might get it all
And then some you don’t want”

Serve como lembrete de que é muito importante estarmos conectados com Deus para pedirmos o que queremos em nossas vidas, pois muitas vezes somos traídos pela miopia de nossos próprios desejos. Gravem isso!

Geração Nutella

O grande problema da “Geração Nutella” é acreditar que nascemos cheio de direitos e com nenhum dever. Apenas para efeitos de esclarecimento, a vida não nos deve NADA! Temos que fazer por onde para conquistar os nossos objetivos. De que adianta ficar nessa de programação neurolinguística e não arregaçar as mangas? Quem disse que vamos encontrar o trabalho ou mesmo o amor de nossas vidas sem nenhum preparo ou mesmo sem correr nenhum tipo de risco? Nada vai cair no nosso colo. NADA! Temos que semear hoje para colher amanhã, lembrando que o tempo entre o “hoje” e o “amanhã” pode ser de anos!

E para terminar, algo que li faz algum tempo. Mais do que nunca, sei que faz todo o sentido.

A Riqueza e o Conhecimento

Era uma vez, num reino distante, um jovem que entrou numa floresta e disse ao seu mestre espiritual: “Quero possuir riqueza ilimitada para poder ajudar o mundo. Por favor, conte-me, qual é o segredo para se gerar abundância?”

O mestre espiritual respondeu: “Existem duas deusas que moram no coração dos seres humanos. Todos são profundamente apaixonados por essas entidades supremas. Mas elas estão envoltas num segredo que precisa ser revelado, e eu lhe contarei qual é.” Com um sorriso, ele prosseguiu:

“Embora você ame as duas deusas, deve dedicar maior atenção a uma delas, a deusa do Conhecimento, cujo nome é Sarasvati. Persiga-a, ame-a, dedique-se a ela. A outra deusa, chamada Lakshmi, é a da Riqueza. Quando você dá mais atenção a Sarasvati, Lakshmi, extremamente enciumada, faz de tudo para receber o seu afeto. Assim, quanto mais você busca a deusa do Conhecimento, mais a deusa da Riqueza quer se entregar a você. Ela o seguirá para onde for e jamais o abandonará. E a riqueza que você deseja será sua para sempre.”

Sem demora

Há vazios que o vil metal não preenche

Em meio à facetas falsárias e perenes

Mas há também vida logo à frente

Que irrompe em corpos de almas urgentes.

Purple Rain – Prince

Mais uma versão absurda dessa música absurda!

Dessa vez, com Martin Miller & Mark Lettieri, ao vivo, no estúdio.

AGORA BABOU

Em homenagem a um dos maiores compositores, músicos, guitarristas e intérpretes de todos os tempos.

Logo abaixo, o MESTRE John Petrucci com sua interpretação da música. É de arrepiar!

RIP, Prince! VOCÊ FAZ FALTA!

Ver o post original

Bloquear ou não?

Na minha cabeça imatura, sempre achei que bloquear alguém em redes sociais, inclusive nas redes profissionais, era um sinal de fraqueza. Soava-me como algo “não sou forte o suficiente para ver aquela pessoa que me fez mal”.

O tempo passou. Pensei e repensei o assunto. Minha visão mudou. Fato é que eu dava muita importância ao que os outros iriam pensar de mim, e pouca importância ao que eu estava sentindo, ou mesmo ao que eu iria pensar de mim mesmo.

“Sou forte o suficiente para afastar de minha vida o que me faz mal e não me importo com a opinião dos outros”.

Não é assim que a gente faz na vida real? “Nunca mais vou olhar na cara de Fulano!” Desde quando isso é sinal de fraqueza? É sinal de amor próprio. Sinal do reconhecimento do próprio valor. Sinal de vergonha na cara.

Não seja escravo das suas redes sociais ou profissionais. Livre-se de uma vez por todas do que te faz mal. E acredite: a vida vai ficar mais leve, mais agradável, e você vai se sentir muito bem consigo mesmo. E em troca, o universo irá sorrir para você como nunca! 🙂

Diamond Ring – Jonah Nilsson + Steve Vai

Vamos falar de funk? Não basta o cara ser talentoso nível Michael Jackson (não estou exagerando). Ele precisa chamar o Steve Vai para fechar a música com chave de ouro fazendo coisas que só o Steve Vai sabe fazer.

Anotem esse nome: Jonah Nilsson. Veio para ficar. É para aplaudir de pé!