Feminismo, machismo ou achismo?

Durante anos, as mulheres brigaram bravamente pelo direito de serem iguais aos homens. Em alguns casos, foram capazes de superar os homens, o que não é mérito ou demérito para nenhuma das partes.

Entretanto, há algo errado aí… Afinal de contas, o objetivo era acabar com o machismo ou fazer valer o feminismo? Se o objetivo era ser igual, isso não implica necessariamente no ônus e no bônus dessa igualdade?

Depois de tanta luta para se tornarem iguais, me assusta ver mulheres apelando para o fato de serem mulheres para se livrarem de determinadas situações. Pior ainda… “Ele me usou!” Que merda de frase é essa? Em um mundo onde há igualdade, só acontecem coisas quando de comum acordo, certo? Quer dizer que a mulher vai junto com o homem para a cama e depois se faz de vítima? Faça-me o favor!

O mesmo digo dos homens. “Tenho medo de me apegar” ou  a clássica “Não estou em um momento para um relacionamento mais sério”. Que homem não corre o risco de se apaixonar por uma mulher querendo ele ou não? Se não deu certo, basta dizer que não deu certo. Simples assim.

Pois bem… Está na hora de trocar o disco. Homens e mulheres são iguais ou não? Que tal pensarmos neles como complementares? Não é isso que a natureza quis nos ensinar quando tornou necessária, na maioria esmagadora das espécies, um macho e uma fêmea para gerar a vida?

Chega de achismo! Homem ou mulher, tanto faz! E não, isso não impede que um homem continue abrindo a porta do carro para uma mulher entrar, e não dá direito à mulher de cuspir na mesa do bar.