Deixa eu te contar…

Deixa eu te contar…

Fui embora querendo ficar

Queria voltar

Sei lá!

Cismei com essa coisa de te amar

 

Não largo mais o celular

Que grita

Apita

Crepita

Explicita

Esse vício que virou te amar

 

Mas não é só no celular…

É no corpo

No coração apertado

Nos olhos vidrados

No discurso emocionado

No tesão reprimido

Boca, pescoço

Nuca e ouvidos

Não se trata de castigo

É só essa mania de te amar

 

Amo

 

Já aceitei essa parte

 

Amo

 

Já aceitei essa parte!

 

Sendo coisa, vício ou mania

Se reafirma como poesia

Inspira

Desvela fantasias

No teu amor encontrei alforria

Mas no fundo ainda sou escravo

E ainda assim descarto qualquer agravo

Posto que não quero mais minha alma vazia.

bom-dia

Áspera vida

Áspera

À espera

A vida

Quem me dera

Ter-te aqui

Agora

Afinal

Seja como for

Sempre antes

Nunca depois.

Vida post mortem

Já dissemos tudo

Já dissemos nada

Já planejamos tudo

Já planejamos nada

E nossa roda gigante

Com aclives e declives

Dignos de um conto de fadas

Navegamos por risos e lágrimas

Nunca dantes defloradas

E entre ervas daninhas

Monstros e espinhos

Nos perdemos no caminho

Mas insistimos nesta telúrica

E epopéica jornada

 

Dissemos não para o sim

E sim para o não

Acorrentados pelos grilhões amor

Quer seja no prazer ou na dor

Edificamos nossas próprias prisões

Cativos de nossos próprios corações

Somos os sobreviventes

Crentes e carentes

Desse nosso mundo real

Em nada imaginário

 

Que a felicidade nos alcance

Que tudo seja vida post mortem

E que o medo seja esperança

Que sobre em nós a alegria das crianças

Quer seja nas madrugadas fogosas

Ou em para lá de inesquecíveis prosas

Nosso amor é assim:

 

Nunca talvez!

 

Há dias que não

Há dias que sim.

index

A menininha e o urso

IMG_2024

Fragilidade e destemor
Delicadeza e risco
Desejo de estar, de ficar
Atração que não se pode imaginar
E em reverencial resignação
O monstro se prostra diante daquela
Que morreria com uma única mordida
E que o mataria deixando escorrer de sua face
Uma única lágrima que fosse de tristeza e não de alegria

Alegria e tristeza

Permita que a alegria e a tristeza invadam seu coração quando necessário. Não fuja destes sentimentos. Sinta-os integralmente e intensamente. Aprenda com eles. Conserte o que pode ser consertado e liberte o que precisa ser libertado. E acima de tudo não perca tempo, pois assim como chegam sem aviso, estes sentimentos também se vão sem avisar.

alegria_tristeza

Promessas e garantias

Que a saudade não seja dor

Mas uma celebração do privilégio

Da vida permitir que exista em mim

Pedaços generosos da sua existência

 

Que as lembranças sejam bálsamo

Para um coração para lá de agradecido

Por ter com você compartilhado e vivido

Momentos absolutamente inesquecíveis

 

Que ausência se torne presença

Mesmo com o muito que já está em mim

Lamento, mas eu sou assim

Não abro mão de quem eu amo

 

E que o universo conspire

Para que todos os meus restantes dias

Sejam de felicidade e alegria

Quer seja na saudade ou na presença esfuziantes.

a-vida-nao-oferece