Creche Aquarela Berçário – Luto

Não sei o que dizer de um “ser humano” que invade uma creche e mata duas adultas e três crianças. Dezoito anos e cinco homicídios nas costas… Vítima da sociedade ou um psicopata que nem merecia estar vivo?

https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2021/05/homem-mata-ao-menos-5-pessoas-em-ataque-a-escola-infantil-no-oeste-de-sc.shtml

Pelo que sei, a professora morreu como uma heroína tentando evitar que outras crianças fossem mortas. Diante de tamanha covardia, a grande verdade é que não havia muito o que pudesse ser feito. Um ato bárbaro, sem perdão. Nunca a violência será uma resposta. NUNCA!

Que Deus receba todas essas almas de braços abertos. Luto.

Ex-marido mata a facadas a juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi

No dia 24/12/2020, perdi uma das pessoas mais maravilhosas que já conheci. Nos noticiários, o assassinato dela era divulgado como “ex-marido mata a facadas a juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi” e teve grande repercussão nacional. Para mim, a situação era bem diferente. Eu tinha perdido a amiga Viviane, que eu carinhosamente chamava de Vivi.

Eu descobri sobre sua morte no site do globo.com. Vi a foto que ela usava no perfil do Facebook estampada na primeira página e cliquei para ler a notícia. Não acreditei. Sabia que era ela, mas precisei ligar para alguns amigos para confirmar. Fiquei chocado. Não acreditei. Ainda não acredito.

Conheci a Viviane faz uns 30 anos. A gente fazia parte de um grupo de cerca de 10 amigos que se reunia nos finais de semana para jogar “Dicionário” (a versão de tabuleiro se chama Academia), Imagem & Ação e coisas do tipo. Estávamos sempre juntos. Era divertido. Ela era doce, carinhosa, inteligente. Era gostoso estar ao lado dela. A amizade de todos ali era inocente e sincera. Era o início da nossa vida adulta, e confesso que foi uma fase absolutamente maravilhosa da minha vida. Aprendi muito com todos que estavam ali.

O tempo e as obrigações acabaram por dissipar o tal grupo, mas volta e meia nos encontrávamos, quer seja porque marcávamos ou por obra do destino. Em 2005, por exemplo, encontrei com ela nas barcas que fazem a travessia Niterói X Rio. Nos sentamos e começamos a falar da vida. Ela me perguntou onde eu trabalhava e eu respondi. Quando eu perguntei onde ela trabalhava, ela me disse simplesmente que era no Tribunal de Justiça. Insisti no sentindo de saber exatamente o que ela fazia lá, e foi um parto para ela assumir que, com 30 anos, já era Juíza de Direito. Definitivamente, tinha a inteligência bem acima da média.

Essa era a Vivi. Uma pessoa simples, doce, honesta e carinhosa. É inacreditável que ela tenha ido embora da maneira que foi, tendo deixado 3 filhas para trás, que agora moram bem pertinho de mim sob a guarda da avó materna, exatamente onde a Vivi morava na época em que saíamos todos juntos.

Vou sentir saudades, Vivi! Se Deus quiser, um dia a gente se encontra. Fique bem. Você NUNCA será esquecida! NUNCA! NUNCA! NUNCA!

Abaixo, os posts que fiz no Facebook logo após eu receber a notícia. Não falar da morte covarde da Vivi seria uma covardia de minha parte. Fica a minha mais profunda indignação. A terceira imagem da esquerda para a direita é uma continuação do post que foi iniciado na segunda.

O assassinato da advogada Tatiane Spitzner

Não há palavras para descrever o que Luís Felipe Manvailer fez com sua mulher. Um crime brutal, sem perdão, que chocou todo o país.

Eu, enquanto homem, gostaria de me aproveitar desse momento de comoção para fazer um alerta: UM CASAMENTO/RELACIONAMENTO NÃO SIGNIFICA E NEM JAMAIS SIGNIFICARÁ A SUBMISSÃO DE UMA DAS PARTES AOS CAPRICHOS E VONTADES DO OUTRO. Vou repetir: UM CASAMENTO/RELACIONAMENTO NÃO SIGNIFICA E NEM JAMAIS SIGNIFICARÁ A SUBMISSÃO DE UMA DAS PARTES AOS CAPRICHOS E VONTADES DO OUTRO.

Seja você homem ou mulher, que fique claro que não estou pedindo a sua opinião sobre o assunto. Estou fazendo uma afirmação enquanto um homem absolutamente inconformado e indignado com o que os homens (infinitas vezes mais do que as mulheres) são capazes de fazer para manter um casamento.

Não! Mil vezes não! Não importa o quanto você é apaixonada ou ama o seu marido/namorado. Não importa o passado maravilhoso que tiveram juntos. Não importa quantos filhos vocês tem. Não importa se você pode se sustentar sozinha. Não importa o que a sua família acha ou achará da sua separação. Muito menos importa o que a sociedade pensará de você. VOCÊ É QUEM VIVE E VIVERÁ AS CONSEQUÊNCIAS DE UM RELACIONAMENTO/CASAMENTO ABUSIVO. A opinião dos outros é fundamentada apenas nas aparências, e bem sabemos que há muitos lobos por aí vestindo peles de cordeiros. Só você conhecer a verdade, de maneira que só você pode tomar essa decisão.

Portanto, ao menor sinal de violência, PULE FORA! AFASTE-SE! Avise aos seus familiares, amigos e autoridades competentes (caso necessário) sobre o que está acontecendo. Faça terapia. Faça o que você achar que deve para se manter sã e viva!

É provável que você, principalmente se for mulher, acredite que uma separação é algo que foi causado direta ou indiretamente por você. “Talvez se eu me propusesse a fazer o que ele pedia…”, “Talvez se eu fosse mais tolerante…”, “Talvez se eu ficar por conta dos meus filhos…”, “Talvez se eu passar por cima de tudo…” Talvez… Talvez… Talvez… NÃO! A culpa não é sua! Um relacionamento/casamento é entre duas pessoas, e se você precisa se submeter ao outro, eu lamento dizer, mas você é uma REFÉM e não uma namorada ou esposa. Se você não consegue ser o que você realmente é no casamento/relacionamento em que você está, simplesmente não há motivos para continuar.

E para deixar mais claro ainda: violência não é só física. Milhares de esposas/namoradas se submetem DIARIAMENTE a um tipo cruel e quase invisível de violência: chantagens e manipulações. E sim, é uma tortura diária. Humilhações, chantagens, desrespeito… Isso não só acaba com a auto-estima e o amor próprio da pessoa, como também é um caminho aberto para que coisas piores aconteçam. Lembra que até ontem você achava o seu marido/namorado a pessoa mais especial do mundo, e hoje ele usa seus filhos, sua família, seu patrimônio e sua imagem contra você? ACORDE!

Que a morte da advogada Tatiane Spitzner não tenha sido em vão. Homem covarde é homem covarde. Não importa a classe social ou o nível de escolaridade. Você não vai conserta-lo. Não depende de você. Isso é coisa de caráter: ou o homem tem ou não tem.

P.S.: Isso não acontece só na casa do vizinho, ok?

violencia-contra-mulher

Drama para a Geração Twitter

Festa Beijos Namoro Sexo Gravidez Casamento Nascimento Separação Reencontro Ciúme Assassinato Fuga Vingança Filho Suicídio #MelhorDrama2016

14105379