Eu, mendigo

Eu vi um menino com sua mãe

Pedintes em frente de uma padaria de luxo

As pessoas desviavam deles

Não os escutavam

Não os ouviam

Como se fossem apenas

Mulher e menino sujos

 

Por ali

Passava eu com pressa

Barba feita e perfume

Passava a moça que tinha feito luzes

Passava o policial

A médica

A professora

O pipoqueiro

O malabarista

O feirante

O artista

E por ali permaneciam

Como se fossem apenas

Mulher e menino sujos

 

Só que me senti incomodado

E precisei voltar

Para aliviar minha consciência

Para mostrar minha superioridade

Diriam alguns

Mas não…

Não voltei por isso

Voltei para mostrar até para mim mesmo

Que nem tudo é maldade

E não dei moeda

Dei pão

Dei ouvidos

Dei coração

E não me importa

Se outros acham isso certo ou não

Pois viam, mas não sentiam

Como se fossem apenas

Mulher e menino sujos

 

A prefeitura

As ONGs

Os intelectuais

Os boçais

Os Cristos

Os Judas

E os Barrabás

Sempre prontos

Para jogar uma pedra a mais

Encaravam-me

Reprovavam-me

Por eu estar ali com eles

Como se eu fosse melhor que eles

Como se fossem apenas

Mulher e menino sujos

 

Mas meu coração se limpou

O menino sorriu

A mãe agradeceu

Eu os toquei

Eu os presenciei

Eu os vivi

Só que eu tinha que sair dali

Para não assumir de vez

A desgraça da miséria humana

E trata-los novamente

Como se fossem apenas

Mulher e menino sujos

 

Não, nunca foram

Não são

E nem nunca serão

Mulheres e meninos sujos

Apenas estão sujos

E me tornaram humano

Limparam o meu coração

E me enchi e os enchi de esperança

Sei que não foi em vão.

frase-sonha-o-mendigo-entre-sacos-de-lixo-e-flores-de-ipe-edson-kenji-iura-165402

Fica sempre um pouco de perfume…

A expectativa que geramos é o primeiro passo em direção à frustração. Não crie espectativas. Faça pelo prazer de fazer. Esta já é a sua recompensa.

E lembre-se: “Fica sempre um pouco de perfume nas mãos que oferecem rosas, nas mãos que sabem ser generosas.”