Alma limpa

Havia algo de despretencioso
No silêncio dos meus lábios
Nas batidas compassadas
No meu coração

Havia algo de belo
Na ausência das rimas
Na calmaria dos gestos
Nos meus pés no chão

Havia algo de precioso
Nas páginas dos livros
Nos filmes introspectivos
Na profunda reflexão

Havia algo de singelo
Nas brisa suave
Nos sonhos risonhos
No incondicional perdão

Havia algo
De novo
De novo
Eu havia.

Retumbante

Há tanto

Um grande tanto

Ferido

Que vive pelos cantos

Escondido

 

Há sorrisos em prantos

Há o que se ignora

Mas que de fato ainda existe

Sob as máscaras do agora

 

Há o que foi dito

O que precisa ser dito

O inaudito

A fuga e a negação

Do conflito

 

E há o tempo que passa

Cadenciado

Desapercebido

E que mantém incólume

Essa eterna ode

Que toca no coração que bate

Retumbantemente aflito.

a-cura-para-o-coracao

Se for para amar, ame!

Lembre-se que há sempre um outro coração envolvido. E no coração dos outros, é terra onde não só se pisa, e que sempre se toca com todo respeito e consideração. Trate como espera ser tratado. Ame como espera ser amado. Ame de verdade. Não ame pela metade.

Hoje é dia de milagres!

Eu não sei o que há de errado em sua vida agora. Talvez você esteja só cansado. Talvez esteja decepcionado, desiludido. Talvez tenha perdido um parente, um amor, um amigo… Eu não sei, mas de uma coisa estou certo: Deus está aí com você nesse momento. Deus está com você em todos os momentos.

A vida tem dessas coisas. Nem sempre tudo vai bem. Mas repare no mundo, na natureza, no que acontece todos os dias. Depois da noite, sempre vem o dia. Depois da tempestade, a bonança. Depois da estiagem, a chuva. E assim será na sua vida. Eu não preciso saber o que aperta seu coração, porque sei qual é o remédio e sei qual é a cura para todos os males: Deus.

Entregue-se de corpo e alma. Aceita a vida como é e as coisas como são. Perdoe até mesmo quem nunca fui capaz de pedir perdão. Sinta suas dores e as entregue nas mãos de Deus. E assim, diante da sua humildade, você será grande diante dos olhos de Deus. Essa é a única maneira de seguir em frente.

Não acredite que você não é forte o bastante. Não acredite que você não vai conseguir. Aquele que deu seu filho por nós é por você, é por mim. Não há força maior no mundo que a força de Deus, e se Deus permitiu que algo acontecesse em sua vida, é porque Deus está te preparando para algo muito melhor. É justo nesses momentos, onde parece que você está sozinho, é que Deus você está no colo de Deus.

Peça; Entregue; Receba. É hoje o seu dia. É hoje a sua hora.

Amém!

P.S.: Eu sou cristão, mas não tenho religião. Eu só acredito em Deus.

Eu não te dei nada

Eu não te dei asas;

Tu já as tinha.

Talvez dobradas,

Amarrotadas,

Mas contigo já estavam.

 

Eu não te dei sorrisos;

Tu já os tinha.

Talvez acabrunhados,

Pensando-se exagerados,

Mas contigo já estavam.

 

Eu não te dei suspiros;

Só ajudei-te a desengaiola-los.

Eu não te dei prazeres;

Só ajudei-te a vivencia-los.

 

Eu não te dei nada,

Porque de fato era do nada que precisavas.

 

Só olhei-te com os olhos e lentes do amor,

E de dentro do teu coração,

Estas e milhares de outras sementes brotaram.

images

Decerto

Há coisas que são só para os olhos

E há aquelas coisas

Que ousam –

Que pousam! –

No ventre,

No útero,

No nascer,

No adeus,

Em Deus,

 

Há coisas –

E de todas essas coisas –

Há o grito,

Calmo ou aflito,

Onde te penumbro,

E nunca te ofusco.

 

Há luz,

Há verdade,

Há claridade

Na cerca que não cerca,

No abraço que não prende,

Na doença que não e moléstia,

Na ausência que é presença

Farta e certa.

 

E tudo

No momento certo,

Quer seja no coração que sangra,

Ou no que o orgulho lacra –

Aberto! –

Renasce por suas próprias forças,

Posto que o amor

Ressurge e urge

No presente fingido,

Cujo futuro –

Decerto –

É comunhão,

Entrega,

Vida,

Sublime abnegação,

Água no deserto.

Janelas

Entre tantos parapeitos,

Por que escolheste pousar justo neste?

Justo nestas janelas,

Nas minhas janelas,

Que para mim eram só mais umas janelas –

Entre tantas outras –

De onde eu via o mundo,

E de onde eu não imaginava

Que tu me vias.

 

Abriste meus olhos –

Sim, as tais janelas –

E enxergou-me por dentro,

Enquanto eu sorria do lado de fora.

 

Deixei que o fizesse sem pressa –

Mas também sem demora –

Porque eu não saberia descrever

Tudo que dentro de mim ficou

E nunca foi-se embora.

 

E desde então,

Minhas janelas seguem abertas para o mundo,

Em todo e qualquer segundo,

E de todo e qualquer jeito.

Pois sempre que pousas

No meu parapeito

Convido-te a entrar

Para repousar,

E para te aninhar

Bem dentro –

No centro –

Do meu peito.

eye-window.jpg