Diga-me!

Nesse momento, não preciso de metáforas, metonímias, catacreses, perífrases… Quero abundantes hipérboles, pleonasmos e anáforas. Quero que as palavras rasguem meu corpo feito navalhas. Quero que jorrem sangrentas obviedades. Quero purgar a realidade. Quero olhar nos olhos da verdade.

Diga-me! Não importa se nascerão deuses ou demônios! Diga-me!

E ainda que eu vire pó, do pó ascenderei ao céu

Não sei se como vítima, juiz ou réu

Meu coração não sabe ficar ao léo

Diga-me! Antes que uma surdez catastrófica me reclame!

Diga-me! Não espere que eu clame! Diga-me!

Ou não diga… E não direi também.

megafone

Save

Em nome de Deus

Se fui capaz de sobreviver

Aos horrores da noite

Haverá vitória retumbante

Durante o dia que se inicia

 

Por mais que me açoitem –

Mil demônios e seus látegos! –

Diante do senhor meu Deus

Minh’alma tem valia

 

Com o coração ferido

Cansado, exaurido

Apronto-me para a batalha

Ainda não fui vencido

 

E se por azar ou sorte

Meu corpo for trespassado

Que não chorem os meus

Pois Deus estará ao meu lado

E eu não temo a morte.

 

Porque ainda um pouquinho de tempo, E o que há de vir virá, e não tardará.
Hebreus 10:37

 

frases-de-deus-7

Anagnórise – Inferno

Parte III

 

E quando parecia derrotada

Eis que se levanta a razão:

“Tenho total e absoluto controle

Chores, pobre apaixonado!

Chores na solidão!”

 

E em rios de lágrimas

Afogou-se a alma

Do homem de fé

Suas vísceras foram rasgadas

Suas crenças dilaceradas

E seus sonhos…

Natureza morta

Vida torta

Fecharam-se as portas

Nunca mais iria sorrir!

 

E no seu quarto

Demônios de todos os tipos

Dançaram em ritmos alucinantes

Riram a todo instante

Gargalharam

Zombaram

Fazendo-o ganir!

 

Dor, um oceano de dor!

Lágrimas ácidas

Suor putrefato

Enxofre

Miséria

Não esperava por tal ato

Sentia-se dominado

Subjugado

Humilhado

De homem apaixonado

À sobras de um coitado!

 

Onde estaria Deus?

De que valia a tal fé?

Será que fazia

Sem saber

Preces para o diabo?

Não, ele não podia

Estar enganado

Mesmo assim

Arrasou-se o homem de fé

Virou poeira

Pó de estrada

 

“Por que este succubus

Meu Deus!

O que fiz de tão errado?”

E sem resposta

Sentiu-se apunhalado

Lembrou-se de Dante

Mas sem forças

Hesitante

“Onde está Virgilio?

Se estou no inferno

Quero daqui sair!

E se ela não é minha Beatrice

O que de fato

Estou fazendo por aqui?”

 

E sem repostas

Não dormiu

Não comeu

Esmoreceu

Padeceu

Pereceu

E deixou-se morrer

E no seu sonho de morte

Foi acordado por um anjo

Que com clareza lhe disse:

“Homem de pouca fé

Levanta-te!

Estás brincando com tua

Sorte?

Se estás no inferno

Agiganta-te!

De que adiantam palavras

Se quando tua fé é testada

Pareces uma criança?

Na razão jaz tua

Esperança.”

 

E assim ele fez

Levantou-se ferido

E os demônios assustados

Fugiram aflitos

E com o peito aberto

E o coração nas mãos

Com sangue jorrando

Aos borbotões

Resiliente, disse:

“Coração, perdoa-me!

Fui fraco na fé

Querer qualquer um quer

Mas não só eu quero

Deus também quer

Enviou-me até

Um anjo!”

 

E tomado por uma miríade

De luzes de todas as cores

Aceitou sua cruz

E seu ofício

Sacrifício

Na certeza de quem tem fé

Pela fé vive e alcança

“Aquiete-se, razão!

Não sou teu inimigo

Sou teu aliado

Estamos eternamento

Do mesmo lado!”

 

E com a fé testada

De joelhos agradeceu

Pela prova

Que Deus lhe deu

Pois para as maiores conquistas

É preciso estar apto

Lutar contra as incertezas

E reconhecendo suas fraquezas

Transcender

E mesmo sem ainda ter

Alcançado a vitória

Vencer.

interno

Navegação

 

E então é Natal…

O ano de 2015 foi atípico. Vimos milhões de brasileiros perderem seus empregos, empresários fecharem seus negócios e empresas importantes deixarem o Brasil, enquanto o governo continuou, como sempre, a esbanjar o nosso dinheiro.

Não foi por falta de aviso. Desde 2004 ou 2005 (não me lembro ao certo), eu e vários outros combatemos o PT e suas medidas populistas, que sempre tiveram como único objetivo a manutenção do partido no poder. E para alcançar esse objetivo, sempre valeu qualquer coisa: deixar pessoas morrerem nas filas dos hospitais, mandar policiais para missões suicidas, e aparelhar o nosso Judiciário ao ponto do STF não se importar com o que está escrito na Constituição Federal. Total e completa inversão de valores.

Mas parece que ainda não foi o bastante. Apesar de todo esse sofrimento, ainda vejo pessoas defendendo o PT. Vou ser direto. Classifico essas pessoas em 3 grupos:

  1. Ignorantes – Aqueles que, em geral, acham que política é algo chato, mas que reclamam do aumento do preço da gasolina, de não receber o décimo-terceiro salário, etc. O agravante neste grupo é que a informação para que deixem de ser ignorantes é abundante. Continuam sendo ignorantes porque as palavras doces do populismo e do socialismo soam como música nos ouvidos dos desavisados. Incluo nessa categoria também os mais humildes, que nunca tiveram acesso ao estudo, à informação, e que foram literalmente comprados pelo Bolsa Família.
  2. Beneficiários do Caos – Estão se beneficiando diretamente do que está acontecendo. Para eles, o caos é um meio de vida. Pobreza, preconceito de todos os tipos e violência são males necessários para que o caos continue. São os grandes vilões de toda essa história. Via de regra, um Brasil melhor significa um Brasil pior para eles. São o câncer do país.
  3. Orgulhosos – São aqueles que dedicaram uma vida inteira a uma causa, e que mesmo diante de seu fracasso, se negam a reconhecer a falência de suas idéias. Não são ignorantes, não se beneficiam diretamente do caos, mas não são humildes o suficiente para reconhecerem que estavam errados.

Talvez seja possível dividir em alguns outros grupos ou subgrupos, mas a idéia básica é essa: os Beneficiários do Caos se beneficiam da ignorância dos Ignorantes e do orgulho dos Orgulhosos para nos darem mais do mesmo. Sistematicamente mais do mesmo.

Não. O ano de 2016 não será melhor do que o ano de 2015. Será pior. Todos os indicadores econômicos apontam para isso. Não há um único número que aponte que já chegamos ao fundo do poço (ainda há espaço para piorar) e muito menos algum número que indique que estamos saindo do poço. Portanto, estejam preparados, de verdade, para o pior. O pior está a caminho, e eu posso dizer que eu avisei.

E então, já que á Natal, eu gostaria de fazer um único pedido para Papai Noel: que Deus ilumine e tenha piedade do povo brasileiro, para que ele se dê conta que a saída da crise não está nas mãos dos políticos, mas em suas próprias mãos. E mais: que Deus, que é misericordioso e também justo, nos ajude a afastar os demônios que estão devastando o nosso país. Que faça de cada brasileiro um soldado nessa guerra contra as trevas, na certeza de quem o bem SEMPRE vence o mal.

Um Feliz Natal para todos!

papai-noel