Soberba

Eu vivi tuas mentiras na esperança –
Hoje ira –
De que houvesse alguma verdade escondida
Entre teus seios.

Pudera…
Até eles são de mentira!
E não há coração algum
Pulsando, batendo entre eles.

Tu não sangras!

O erro foi meu e reconheço:
Tua vida é uma mentira sem conserto,
E achar que eu poderia mudar isto
Foi o perigeu da minha desgraça
E o apogeu da tua soberba.

Carpe Diem

Contratei uma carpideira

E ela se negou a chorar

Depois de ouvir minha desgraça

Disse que eu deveria me alegrar

 

Resultado?

 

Não paguei pelo serviço

E fomos tomar um chopp no bar

Rimos muito!

Há graça no sofrer sem necessitar.

index