Na estrada

Estou seguindo nesta estrada

Retas e curvas

Não deixo escapar nada

E o melhor de tudo

É que estou de carona –

Dia e noite, na madrugada –

E ainda assim me dirigindo

Por esta jornada

Que nunca se repete

E que nunca, nunca

Se acaba.

Namorada

A verdade é que te pedi uma carona

E esqueci de perguntar para onde ias

E agora que aqui estamos

Perguntas para mim

Para onde é que nós vamos?

Não sabemos nem onde estamos!

E esse “nós” veio de onde?

Estavas mal intencionada

Permita-me dar uma gargalhada!

Não é mais fácil assumir

Do que simplesmente fingir

Que nos perdemos na estrada?

Sim, melhor darmos uma parada…

De agora em diante, eu dirijo

E desde logo já aviso:

Já que nos falta rumo e juízo

Será infinita essa jornada.

Estrada