Mente que nem sente

Psicóticos e esquizofrênicos jamais mentem,

Pois para eles seus delírios e alucinações são 100% verdadeiros.

Fora isso, quem “mente que nem sente”

Sabe muito bem que está mentindo.

E você aí sofrendo, se martirizando,

Por gente que não tem honra, caráter.

Gente que nem gente é.

Ninguém muda ninguém – entenda!

Por isso, aceite as pessoas como elas se mostram

E a dor irá embora com o tempo.

A verdade liberta,

A verdade cura,

A verdade é de Deus.

Diga não aos senhores das trevas!

Acima de tudo, são grandes ladrões do seu tempo

(que é finito).


Você merece!

Se perdoe, vai…

Se perdoe e vá.

Pois a vida é curta

E o tempo é breve.

Mas as memórias e os sentimentos,

O calor e a cor dos momentos,

As nuances dos tempos,

São perpétuos

E transcendem jazigos perpétuos.

Se perdoe, vai…

Você merece.

Simplesmente vá.

Luz que nos guia

Talvez a luz não esteja no fim do túnel.
Talvez o túnel seja a prória luz
Nos guiando pelos caminhos emaranhados da vida.

26 Ele disse-lhes: “Homens de pouca fé, porque estavam com medo?” E levantando-se repreendeu o vento e o mar e fez-se uma grande calma. – Mateus 8:26

Aprecie a paisagem no túnel (ela existe – acredite!) sem medo e sem moderação. Confie no processo. 🙂 🙂 🙂

Country Clube – Nova Friburgo/RJ

Agora

Se não sentires vontade de falar comigo quando Morfeu te devolve ao mundo ou mesmo quando ele se prepara para novamente receber-te, vai-te embora.

Se a músicas que ouvimos tantas e tantas vezes juntos não te remete aos inúmeros pequenos e grandes momentos que vivemos juntos, vai-te embora.

Se a calor do sol que esquenta a tua pele não fizer com que te lembres de todas as loucuras que já vivemos na cama (e em outros lugares também), vai-te embora.

Se os aromas e gostos que tanto nos diziam não forem capazes de fazer com sintas frio na barriga ou arrepios na pele, vai-te embora.

Se eu não estiver na lista daqueles que surgem na tua mente quando estás com um problema ou simplesmente porque precisas desabafar, vai-te embora.

Talvez eu implore para que fiques. Vai me doer, vai me fazer sangrar, mas insisto: vai-te embora.

Porque há muito mais no mundo esperando por mim. Eu sei que há, pois já passei por isso antes. Talvez passe por isso novamente. Eu não sei. Só vai-te embora, porque é chegada a minha hora e a nossa hora morreu de inanição.

Mas acima de tudo, vai-te embora, porque não preciso da tua pena. Não preciso da tua misericórdia. Não preciso da tua caridade, porque sei que ainda que eu caia, jamais ficarei no chão. A verdade não é capaz de me matar. Nunca será.

E se assim for, vai-te embora, porque a tua presença impede o milagre do porvir e de tudo que preciso para viver e me sentir vivo.

Eu quero tudo e quero muito. E quero agora, porque eu vivo e sou o agora.

E agora, vai-te embora. Sem demora. Há pressa diante do que a vida ainda tem para mim.

Vim trazer verdades 57

No geral, todos dizem que você deve “pensar fora da caixa”. Experimente fazer isso. Em menos de 5 minutos, vão tentar te colocar de volta na caixa na base da porrada se necessário for.

Conclusão: você pode e deve pensar fora da sua caixa desde que seja na caixa do mainstream ou do senso comum.

Merda de poema

Não me importei com as falas,
Muito embora eu as sentisse.
Mas as perversões em riste,
Eram em mim cilícios lancinantes.

Saí de cena,
Emudeci-me,
Resignei-me.

Tomei rumo,
Prumo,
Vodka,
Gin,
Whisky,
Cerveja.

Mas quando a alma é pequena –
Se é que existe –
Nada de fato vale a pena,
Nem mesmo uma merda de poema.

Nuvens cinzentas

As nuvens –
Antes cinzentas –
Assopram-me em direção ao sol.

Justo o sol,
Que sempre lá esteve.
Justo o sol,
Que das nuvens independe.

Mas eis que voar por entre
As nuvens densas e cinzentas,
Fez-me valorizar ainda mais o sol,
Que me aquece,
Que me remexe,
E minha pele aquece,
E faz bater meu coração.

Queria eu ter entendido antes,
Que as nuvens então cinzentas,
Eram catalisadoras da minha ascenção.

(querendo eu ou não)

Pelas nuvens cinzentas eu ascendi,
E o sol tudo em mim acendeu.