Ninguém se importa!

Então, é sábado. A semana talvez não tenha sido muito boa. Talvez você tenha se decepcionado. Talvez esteja frustrado, triste.

Posso contar um segredo?

NINGUÉM SE IMPORTA!

E não é porque as pessoas são ruins ou não gostam de você. Pelo contrário. Seus amigos são seus amigos de fato (parto do pressuposto que saiba o que é amizade) e seus familiares nutrem por você amor infinito.  A questão é que todo mundo anda muito ocupado hoje em dia.

Quer exemplos? O Facebook não para! O WhatsApp, idem. E o Skype, Telegram, Instagram, Snapchat, etc., também não ajudam… Entende o problema? As pessoas estão muito ocupadas!

Está precisando conversar com alguém? Desabafe na sua timeline. É sério! Funciona! Tenho certeza que vai encontrar alguém que disposto a ajudar e a dar todo o tipo de opinião sobre a sua vida. Gente que de fato se preocupa com você. Gente tão ocupada quanto seus amigos e familiares.

Não deixe passar essa dica, ok? É de coração. 🙂

P.S.: Sheldon Cooper não entenderia este texto. Espero que você entenda.

Erva-doce

O cheiro da broa de milho

O café sem pressa

A porta da rua aberta

Os vizinhos sempre bem-vindos

Era assim quando eu era menino

 

O tempo passou e, inclemente, nunca parou

 

O café agora é espresso

Os vizinhos? Desconheço

A porta da rua sempre trancada

A broa de milho é da padaria

E a violência é a notícia do dia

 

O tempo passou e, inclemente, nunca parou

 

Saudades da época em que eu achava

Que tinha tempo a perder

Do avô, da avó, dos tios, dos primos

Da sensação de não correr perigo

De ver no mundo um grande e acolhedor amigo

 

Pelo menos nesse instante – agora!

Enquanto meus pensamentos vão

Para um passado distante

O tempo não foi adiante

Pelo contrário – voltou!

Sinto cheio de erva-doce.

dill

Irracionalmente feliz

Toda vez que ouço a palavra racionalidade, por um motivo ou por outro, imagino um filhote de pássaro na beira do ninho, prestes a voar pela primeira vez. O filhote não sabe o que é gravidade, muito embora sinta os efeitos dela. Seu instinto de sobrevivência o faz respeitar a altura, mas isso não o impede de tentar. É fato que alguns caem na primeira tentativa e alguns talvez até morram tentando, mas esse é seu instinto. Os pássaros precisam voar. Eles sabem disso. Não fogem e não hesitam. Eles simplesmente vão.

Tento trazer essa analogia para o nosso mundo de alguma forma, e confesso que encontro todo o tipo de dificuldade. Imagino como seria no ninho se os filhotes fossem racionais:

“Minhas penas estão bonitas?”
“Eu até queria voar, mas eu me recuso a seguir os padrões impostos pelos meus pais, pela natueza.”
“Tá maluco? Acha que vou me atirar dessa altura sem participar de algum treinamento adequado?”

Somos assim. Somos racionais. E por mais que isso tenha feito de nós a espécie que subjugou todas as outras no planeta Terra, essa mesma racionalidade nos tráz um monte de limitações. A principal delas é a que precisamos ser socialmente aceitos. Somos seres sociais. E para isso, precisamos encontrar alguma caixinha, algum rótulo que possamos utilizar para conviver com outras pessoas. Racionalmente falando, somos irracionais ao ponto de acreditarmos que o que os outros fizeram antes de nós é perfeito e ideal para nos definir enquando indivíduos. Incrível, não?

Poucos, de fato, são aqueles que vieram ao mundo com a coragem de desafiar a sua própria racionalidade. Em geral, são conhecidos como loucos:

“Você tinha um emprego tão bom! Por que saiu?”
“Se eu fosse você, não faria Biologia Marinha. Onde você vai trabalhar com isso?”
“Você precisa se casar. Já passou da idade.”

Somos bombardeados por frases desse tipo durante toda a nossa vida. Essas mensagens são emitidas por quem nos ama, por quem nos odeia, por quem sabe do que está falando, por quem não sabe do que está falando, e pior ainda: por nós mesmos.  Precisamos entrar dentro de uma caixinha socialmente definida para recebermos a chancela de indivíduos padrão.

E dessa maneira, ignorando que o mundo pode nos oferecer muito mais do que caixinhas, nos dizemos felizes. Não podemos ou mesmo sequer ousamos ouvir o que nosso coração tem a dizer sobre nossa vida. Temos que ser racionais, claro. Irracionalmente racionais.

Há uma sequência de frases que ilustra perfeitamente o que quero dizer:

É melhor tentar e falhar, que preocupar-se e ver a vida passar.
É melhor tentar, ainda que em vão que sentar-se, fazendo nada até o final.
Eu prefiro na chuva caminhar, que em dias frios em casa me esconder.
Prefiro ser feliz embora louco, que em conformidade viver.

A autoria (não confirmada) dessas frases é de Martin Luther King.

Eu aprendi que viver fora da caixinha dá medo, mas também aprendi que a verdadeira felicidade pode estar fora dela. Largar um emprego para tentar algo que nunca fiz na vida? Por que não? Mudar-me para um lugar diferente? Por que não? Sentir algo diferente? Por que não? Não vai ser o meu medo que vai me definir enquanto pessoa, e muito menos o que a sociedade espera que eu seja. Eu preciso voar e nada nem ninguém vai me impedir de fazer isso. O limite superior da minha felicidade é infinito, e a responsabilidade sobre a minha felicidade é única e exclusivamente minha.

E você? Está preparado para o seu primeiro ou próximo vôo? Que seja irracional, talvez. Siga seus instintos. Experimente novos níveis de consciência. Conheça-se. Explore-se. Descubra sua essência. Seja você mesmo. Visto de cima, o mundo é muito, muito maior.

eagle-03

Ser pai é…

Bom, eu não sei a resposta exata, mas tenho algumas idéias sobre o assunto.

Quando eu era pequeno, achava que era o cara que trabalhava feito um doido e que brigava comigo quando eu fazia besteiras. Eram brigas leves, diga-se de passagem. Meu pai nunca me bateu, mas essa não é a melhor recordação que tenho dele.

Meu pai era um homem que gostava de trabalhar. Eu via isso nele claramente. Era capaz de ir para o trabalho com crises renais (vi isso acontecer – não me contaram) e tinha muito orgulho do que fazia (era Administrador de Empresas e Técnico em Contabilidade). Trabalhou em empresas grandes e pequenas, dando tudo de si em todas elas. Após se aposentar, parte do brilho que sempre vi nem seus olhos se foi, mas ainda assim ele seguiu empreendendo, o que sabemos que é uma espécie de loteria no Brasil. Aposentado e desgostoso da vida por motivos diversos, acabou partindo prematuramente. Isso faz 10 anos. Parece que foi hoje pela manhã.

Hoje, eu sou pai. Nada melhor para ser pai do que entender o que é ser pai. Parece meio óbvio isso, mas o nascimento de minha filha gerou mais dúvidas do que certezas. “O que devo falar? Como devo me comportar?”, apenas para citar algumas das questões que vagavam pela minha cabeça. E no meio destas dúvidas todas, surgia a figura do meu pai. Nem de longe perfeito, mas servia perfeitamente como parâmetro. “O que meu pai faria nesse caso? Por que faria? Como faria”, indagava (e ainda indago). E, normalmente, partindo desses questionamentos, acabo por encontrar, ainda que de maneira indireta, respostas para (quase) todas as minhas perguntas.

Ser pai é ser referência, é ser exemplo. É o que meu pai foi e é para mim. É viver depois de ter partido no legado que deixou para seus filhos. É ser sem continuar existindo, pelo menos não no mesmo plano que eu. É ser contado em prosa e verso para a neta que nunca abraçou, que nunca conheceu. É ser amado incondicionalmente, de maneira inesquecível e incomensurável, por mais imperfeito que tenha sido, pelo simples fato de ser o porto seguro de uma criança que tateava o mundo em em busca de respostas. Ser pai é prosseguir no dia-a-dia do filho, mesmo depois de 10 anos, sem jamais ter sido esquecido.

Meu pai era também meu pai biológico. Poderia não ser. Pai é essa coisa sobrenatural, que enche de orgulho e quase mata de saudade quando se vai, que pode ser o avô, o tio… Pai é aquele que se faz pai, e se torna imortal por isso.

Que hoje, no Dias dos Pais, esse seja o nosso pensamento. Se o seu velho ainda estiver vivo, dê um abraço forte nele. Nem é preciso dizer nada. Ele vai te entender, pois ele é nada mais nada menos que seu pai. E se ele já tiver partido, eleve seus pensamentos para o céu e pense: “Pai, foi do caralho o tempo que passamos juntos! Amém!”

Feliz Dia dos Pais!

P.S.: Sempre que acontece alguma coisa importante em minha vida, chego em casa e penso logo em ligar para o meu pai. Sorte que antes de partir ele deixou um 0800 gravado dentro do meu coração.

7b170633ef934dfcf88c13598cc789e2--dia-do-pai-creche