Denúncia MV1 – Homofobia???

A escola, alguns professores, alguns pais e ativistas (aproveitando-se da situação), resolveram simplificar o problema: o pai é homofóbico. Em assim sendo, todo e qualquer argumento que eu utilize será desqualificado por conta do meu suposto preconceito (homofobia). O nome disso? Argumentum ad hominem: falácia que se caracteriza quando determinada pessoa responde a um argumento com críticas negativas ao seu autor e não ao conteúdo apresentado.

Uma falácia consiste num argumento falso, uma ideia que parece transmitir uma verdade ou discurso válido, mas não apresenta bases lógicas e coerentes.

A falácia do tipo ad hominem pode ser classificada como um desvio de atenção, tirando o foco do assunto em discussão para algum aspecto que não tem qualquer relação com a proposição apresentada.

Maiores detalhes em https://www.significados.com.br/ad-hominem/.

Objetivo, então, é transformar a discussão em algo do tipo Fabio “Homofóbico” Ottolini vs. MV1 Paz e Amor. Vamos analisar isso em detalhes.

keithharinghomosexualidad__small

O trabalho acima é de autoria do Keith Karing. Gostou? Não gostou? Não importa. Você pode perfeitamente achar o Keith Haring o maior artista do mundo, só que não é isso que estamos discutindo.

O MOTIVO DE MINHA INDIGNAÇÃO É A INTRODUÇÃO PREMATURA DE UM ARTISTA CONHECIDO PELO SEU TRABALHO HOMO-ERÓTICO E ZOÓFILO, ALÉM DO SEU ATIVISMO SEXUAL E APOIO À PROSTITUIÇÃO. TUDO ISSO EM SALA DE AULA PARA UMA CRIANÇA DE 9 ANOS.

E se fosse um artista representando imagens hétero-eróticas?

A MINHA RECLAMAÇÃO SERIA EXATAMENTE A MESMA! A QUESTÃO NÃO TEM NADA A VER COM ORIENTAÇÃO SEXUAL, MAS SIM COM A EROTIZAÇÃO PREMATURA DAS CRIANÇAS, SEM CONTAR COM APOIO À PROSTITUIÇÃO E À ZOOFILIA!

Há tempo certo para tudo. Simples assim.

Post original: Denúncia – Escola MV1 Icaraí – Niterói/RJ

Denúncia – Escola MV1 Icaraí – Niterói/RJ

Fui banido pelo Facebook. O motivo? PASMEM!

Face1

Face2

Eu faço uma denúncia sobre uma criança sendo exposta a material inadequado para a sua faixa etária e no final sou banido? Muito interessante… Mas o melhor de tudo é o seguinte: me banindo, o Facebook carimbou a minha denúncia. Se nem o Facebook aguenta essa “exploração sexual”, imaginem eu como pai?

É interessante destacar que há pais desavisados que não estão entendendo a questão. A frase “se veio da escola, é bom” não se aplica aos dias de hoje. Esse exemplo real é a prova do que estou falando. Não importa se a escola diz que o artista em questão foi apresentado dentro do contexto A ou B. Uma simples busca no Google revela o seguinte:

Face3

Percebem que não é nem necessário buscar pelas imagens? Elas simplesmente aparecem! De acordo com a direção, entretanto, minha filha chegou nessa imagem porque clicou em algo relacionado a sexo… Sob minha supervisão, claro… E não gosto do trabalho do artista porque sou homofóbico. Não tem nada a ver com apresentar prematuramente temas inapropriados para uma criança de 9 anos.

P.S.: De acordo com a coordenação pedagógica do MV1, usar o Google é crime. Isso no MV1, na Coréia do Norte e na China.

Agora, uma frase sensacional e apropriada do artista utilizado como referência para seus filhos:

“Em minha vida fiz muitas coisas, ganhei muito dinheiro e me diverti muito. Mas também vivi em Nova Iorque nos anos do ápice da promiscuidade sexual. Se eu não pegar AIDS, ninguém mais pegará.” – Keith Haring

Para maiores detalhes, https://pt.wikipedia.org/wiki/Keith_Haring

Ainda não vê nenhum problema? Se faça a seguinte pergunta, então. Por que esse artista? Não há nenhum outro? Percebem que o timing não é adequado? Por que, repito, por que usar justamente essa referência com uma criança de 9 anos? Exposição desnecessária. Tudo completamente desnecessário.

Cabe ressaltar que tentei uma resolução amigável e não consegui. Mesmo eu tendo direitos específicos como pai, não consegui. O MV1 ESTÁ OBRIGANDO A MINHA FILHA A FAZER UMA PROVA SOBRE ESSE ARTISTA E ISSO É ILEGAL! Lembrem-se, pais: hoje, o descaso é comigo e com a minha filha; amanhã, ainda que não concordem comigo, as reinvidicações podem ser suas e de seus filhos.

Agora, se depois de tudo isso você ainda não me entendeu, FAÇA PERGUNTAS! Não me rotulem de “pai maluco”. É isso que o MV1 quer! Exatamente isso!

P.S.2: Obrigado, Facebook, por apagar provas! Tive uma conversa muito interessante com uma aluna do MV1, onde respondi com carinho, respeito e seriedade todos os pontos levantados por ela, tão somente para que o MV1 use a conversa em sua defesa, não mostrando as minhas respostas. Deixo algumas perguntas para ela:

VOCÊ SABE que eu te respondi! Por que não exige do colégio a transparência necessária? Se defende tanto a instituição por conta de sua história, por que concorda, ainda que indiretamente, que meus comentários sejam suprimidos? Se pede diálogo entre as partes, por que não recrimina a instituição por ter chamado um pai de homofóbico e acusado sua filha de 9 anos de clicar em links de sexo enquanto procurava no Google SOB SUA SUPERVISÃO? Por que está sendo conivente com uma instituição que retira de seu site todos os comentários negativos? Por que não pede para o MV1 reabrir o diálogo, uma vez que o MV1 o fechou? Percebe que NADA disso precisaria acontecer se o MV1 fosse a instituição que você afirma ser?

Aliás, graças a amigos, consegui recuperar minhas repostas à aluna do MV1. Os prints estão abaixo.

dialogo1dialogo2dialogo3dialogo4

Notificação extrajudicial recusada pelo MV1: NOTIFICAÇÃO EXTRAJUDICIAL

Posts relacionados:

Resposta – Larissa Jacheta Riberti

MV1 Icaraí – Controle Parental – Keith Haring

Nova Denúncia – MV1 Icaraí – Niterói/RJ

Ancelmo Gois – O Globo – Denúncia MV1

Denúncia MV1 – Homofobia???

Denúncia – MV1 Icaraí – Ainda suspenso do Facebook