Escola MV1 Icaraí – Processo Criminal

Creio que todos sabem que a Escola MV1 me acusou de calúnia e difamação (esfera criminal) por conta da história que narrei sobre o Keith Haring (para quem não sabe, o link com todos os detalhes pode ser encontrado ao final do texto). Tive até que ir a uma delegacia para prestar depoimento. O que eu não esperava, entretanto, é que desistissem no meio do caminho… Simplesmente abandonaram o processo e ele foi arquivado em definitivo.

Fico me perguntando: se a instituição tinha tanta certeza que estava correta, por que não levaram a questão adiante? Afinal de contas, não era eu um reles vilão? O que dirão agora os inúmeros pais que afirmavam que eu era um mentiroso querendo aparecer? O que dirão os “amigos” que perdi no meio dessa jornada, simplesmente porque acharam mais cômodo ficar em cima do muro? O que dirão os ativistas que me atacaram ferozmente? Querem saber? Eu simplesmente NÃO ME IMPORTO.

Eu lutei e luto por aquilo que acredito. Estou cansado de ver gente que só fala, fala, fala, mas que é incapaz de tomar uma atitude. Aliás, o Facebook está cheio dessas pessoas, que no fundo só querem aparecer. Musos e musas da direita… Fingem que nem te conhecem quando a coisa fica séria. COVARDES!

Só que há também o outro lado. Lado de gente que acreditou em mim desde o primeiro instante. Gente não necessariamente próxima, mas que conseguia ver a indignação que estava em meu coração. Gente que me perguntava como eu estava, como eu estava me sentindo… Como estava a minha filha… E a estes, em nome de Deus, o meu MUITO OBRIGADO. Que a vida lhes dê em dobro o MUITO que me deram.

Por vez ou outra, afirmo no Facebook que sou um homem de fé. Sim, é isso que eu sou. Sou uma pessoa que acredita em seus valores, e que não permite que ameaças, chantagens e coisas do tipo atrapalhem a sua minha caminhada. Obrigado, Meu Deus, pois foi o Senhor que me trouxe até aqui!

A verdade sempre aparece, ainda que tempo seja necessário para isso acontecer. Minha honra está lavada, e sigo firme e forte com o processo na área cívil. Afinal de contas, o difamado e o caluniado fui eu! E contra fatos não há argumentos.

Espero que compartilhem essa mensagem. A verdade precisa vir à tona.

Denúncia – Escola MV1 Icaraí – Niterói/RJ

Magnanimamente cruel

Por falar demais

Pedi desculpas até pelo que não tinha feito

E por falar demais

Fui condenado até pelo que não fiz

 

E assim é a justiça do amor:

Sequer cabe recurso

Posto que está sofisticamente em curso

Incondicional e resoluto

Causticante e absoluto

Anacoluto e abrupto

Cerceamento de defesa.