Coisas que aprendi

  • Nada do que eu tenho é verdadeiramente meu. Isso inclui a família, amores, amigos, bens materiais e até mesmo meu corpo, minha vida. Tudo me foi emprestado pelo universo e pode ser retirado de mim a qualquer momento. A única exceção para essa regra são meus sonhos e os momentos que vivi, posto que fazem parte das minhas memórias, da minha alma, da minha essência.
  • Não faço nada esperando algo em troca.
  • Não julgo, mas tenho opinião. Estou sempre aberto ao diálogo, independentemente de quaisquer circunstâncias.
  • Não culpo. Os desafios da vida dos outros merecem e devem ser respeitados.
  • Não me vendo.
  • Tento sempre surpreender. Não quero ser mais um na multidão.
  • Quem eu amo, eu amo de verdade.
  • Acredito que expectativas geram frustrações. Não espero nada de nenhuma situação. Reajo com naturalidade diante de qualquer resultado.
  • Nem sempre entendo o que acontece. Quando não consigo encontrar uma razão, aguardo, espero. A vida é feita de múltiplas páginas e capítulos.
  • Desapeguei-me de tudo e de todos. Amo incondicionalmente, na certeza de que amar é a minha própria recompensa.
  • O que for meu virá em minha direção sem que eu tenha que fazer força. Se tiver que forçar, é porque não é meu. Não se trata de não lutar por aquilo em que acredito, mas de saber que para tudo há um limite.
  • O medo é uma faca de dois gumes. Para os sábios, é uma chance de pensar na melhor maneira de lidar com uma situação. Para os tolos, uma justificativa para nada fazer.
  • Perdôo sempre e incondicionalmente. Entretanto, não permito que minha capacidade de perdoar seja confundida com permissividade.
  • Jamais me vingo ou penso que a vida irá vingar-se por mim. Cubro quem o feriu com o manto do perdão.
  • Sou paciente, mas sou sujeito ativo de minha história. Sou o único responsável pela minha felicidade.
  • Sou forte com os impiedosos e covardes. Doce com os humildes, com os que precisam de ajuda.
  • Procuro ser o porto seguro na vida das pessoas.
  • Amo-me e não aceito ser backup ou opção na vida de ninguém.
  • Dou importância a quem me dá importância.
  • Não culpo os outros pelas minhas escolhas. Boas ou ruins, eu assumi o risco.
  • Confio em atitudes. Nunca em palavras.
  • Medito. Penso sobre meus problemas. Aprendi a confiar na minha intuição.
  • Espero o momento certo, mas não espero para sempre.
  • Sou bom, mas não perco um segundo que seja provando isso para ninguém.
  • Sou disciplinado e estou preparado para alcançar aquilo que desejo. Grandes recompensas advém de grandes esforços.
  • Mostro o caminho para quem precisa de ajuda, mas lembro-me sempre que o caminho dos outros não pode ser trilhado por mim.
  • Sorrio sempre. Esse é o meu ângulo mais bonito para as fotos e para a vida.
  • Depressão é excesso de passado. Ansiedade é excesso de futuro. Vivo o presente. É só ele que importa.
  • Estou por inteiro em toda e qualquer situação.
  • Não deixo que as atitudes dos outros mudem a minha essência. Minhas atitudes são o que me definem.
  • Faço pelos outros e para os outros aquilo que gostaria que fosse feito por e para mim.
  • Não finjo ser o que não sou por motivo algum.
  • Não preciso ser aceito. Eu me aceito.
  • Sou único, cheio de qualidades e defeitos. Valorizo-me e justamente por isso mudo o que considerar inadequado.
  • Nunca nego nenhum tipo de sentimento, seja ele positivo ou negativo. Vivo-os intensamente. Todo sentimento traz lições importantes.
  • Arrependo-me. Peço perdão. Faço isso de coração, mas não espero que se sensibilizem com minha mudança.
  • Agradeço por tudo. A vida é um eterno aprendizado. Cada pequena interação é uma chance de aprender algo novo.
  • Vivo intensamente. O tempo não para e a vida é muito curta. Transformo meus sonhos em realidade.
  • Não temo a morte. Temo não viver a vida.
  • Estou sempre disposto a aprender e a mudar de opinião se necessário for.
  • A vida é uma montanha russa. Estou aqui de passagem, e é melhor aproveitar ao máximo essa viagem. Há beleza e ensinamentos nos altos e baixos da vida.
  • Para cada porta que se fecha, milhares de outras se abrem. O universo conspira a meu favor. Portanto, não olho apenas em uma direção. Aquilo que desejo pode estar em uma direção diferente da que estou focando.

P.S.: Não tenho dúvidas do que outros, muito mais sábios do que eu, já disseram tudo isso antes de mim. Entretanto, achei importante compartilhar.

 

Só um instante

Lembra daquela fração de segundo

Daquele momento acordante?

 

Lembra do que aconteceu

E do que éramos antes?

 

Veja agora o que somos…

Bastou só um instante

Para gerar busca eterna

Vontade quase que incapacitante

Inquietante

Gritante

Comichão alucinante!

 

Bastou só um instante

Um eterno

Um indestrutível

Um incurável

Um indestrutível

Um inesquecível

Um insubstituível

Instante.

frase-a-alma-e-uma-borboleta-ha-um-instante-em-que-uma-voz-nos-diz-que-chegou-o-momento-de-uma-rubem-alves-114654.jpg

Anagnórise – Face a Face

Parte I

 

Politomia: palavras, sentimentos, indagações

Pilares de sustentação do porvir

 

No vôo torto daqueles

Que querem

Que desejam

Que perguntam

Que questionam…

 

Buscam-se

Acham-se

Perdem-se

Encontram-se

Tocam-se

Devoram-se

Repelem-se

Atraem-se

Riem

Choram

Lamentam

Contemplam

É chegado o derradeiro

Momento

 

Não há fuga possível

Não há clemência

Não há coup de grâce

Há confronto

Há enfrentamento

Há tempestade

Há tormento!

 

Tudo acontece tão rápido

Ao ponto do futuro

Já ter se passado

As palavras

Os sentimentos

As indgações

Inundam

Fervilham

Borbulham

E aumentam!

 

São muitas

Todas as coisas

São brutas

Precisam de luz

Feito mariposas

E rodopiam

Pois eis que não havia

Plano de vôo algum!

 

Os cheiros

Os gostos

A textura

O calor

O suor –

DESEJOS –

Tudo desesperador!

Tudo queima!

Tudo tem rubor!

 

Tortura

Comichão

Sem nenhum pudor

A culpa

A desculpa

Longa metragem

Insuportável terror!

 

E nessa politomia

De vidas nada vazias

Chega o sono…

E vai-se logo em seguida

Medo da noite

Brutal açoite

Nenhuma alforria!

 

O teto não fornece respostas

E nem mesmo poesias

Logo logo chegam

Os primeiros sinais do dia

Que iluminam

A cama vazia

Abarrotada de

100 milhões

De tons cinzentos

Sem nenhuma anestesia.

casaval1

Navegação