Tic-tac

Posto que quando se ama

A distância se mede em metros

Mas em horas, minutos, segundos…

 

Tic-tac

Tic-tac

Tic-tac

Tic-tac

Tic-tac

Tic-tac

Tic-tac

Tic-tac

Tic-tac

Tic-tac

Tic-tac

Tic-tac

Tic-tac…

paciencia-aprender-que-tudo-tem-o-seu-tempo

Desmascarando

Máscaras…

Já não te valem mais nada

Caíram

Despedaçaram-se

Simplesmente sumiram

 

Vi teus olhos marejados

Na despedida

As gargalhas desmedidas

Abundantes fagulhas e centelhas de vida

O teu olhar de admiração

Que fez tua alma ficar despida

Teu corpo contraindo-se em turbilhão

Enquanto repousas em mim, exaurida

 

Foram-se todas as máscaras

Mas tu não podes

E nem queres ir mais:

De que adianta ires só de corpo

E tua alma ficar para trás?

 

E quanto as minhas máscaras

Como bem sabes

Nunca as tive:

Na presença ou na ausência

No sorriso ou no pranto

O amor por ti eternamente reside.

frase-o-amor-arranca-as-mascaras-sem-as-quais-temiamos-nao-poder-viver-e-atras-das-quais-sabemos-que-james-baldwin-143517

De borla

Vem!

 

Não hesita

Nem desista

Insista

Seja figurinista

Da sua própria vida

 

Vem!

 

E chega

Fica

Facilita

Não complica

Coloca tempero em sua vida

 

Vem!

 

Segura

Madura

Remova a armadura

Com brandura

Entregue-se para a vida

 

Vem!

 

O tempo é agora

Toda hora é hora

Depressa

Sem demora

Momento de viver a vida

 

Vem…

Porque o amor e a felicidade aqui

Abundam, transbordam, inundam:

São de borla.

2349058136

Maratonistas

Lembro-me da luz do sol

Invadindo nosso quarto

Por entre a cortina

Iluminando teu corpo nu

 

Lembro-me do meu corpo

Suado, também nu

Ainda ofegante

No mais completo e extravagante êxtase

 

Nosso cheiro embolado no ar

Roupa de cama molhada

Evidências incontestáveis

De fatos concretos, consumados

 

Teus cabelos bagunçados

Tuas pernas torneadas e meladas

Rios que de ti escorriam

Águas que criaste e levaste de mim

 

Lembro de te puxar-te pelos braços

Jogar-te de volta na cama

Provar novamente os nossos gostos

O mais puro e selvagem absinto

 

Lembro-me de visitar-te por dentro

Do céu da boca e de todos os outros lugares

E de novos rios intermináveis

Jorrando sobre nossos corpos lisos

 

Mas de tudo isso

Lembro-me ainda mais

Da delícia que é ser teu homem

E da delícia que é tu seres a minha mulher.

200_s

Ao meu lado

Deixa assim…

Eu vivo do passado

Olhando para um futuro

Com você ao meu lado

Morrendo de rir

 

Três pizzas para dois

Quatro gozadas depois

Te amo

Te chamo

Vinho

Canto

Pranto

Amor sem fim

 

Sim, a gente é assim

Sem fim

Sem começo

Puro recomeço –

Eis o preço! –

De vidas tortas

Que bateram em nossas respectivas portas

Precisando-se, pedindo-se

Necessitando-se…

 

Sim, vamos esconder

O que a vida nos prometeu:

Vamos nos ignorar em direitos

Defeitos

Peitos!

Falando nisso

Adoro os seus!

 

Exalo saudades

Das conversas sem fim

Do meu corpo suado

Colado no seu

Algo sem igual

Algo só meu e seu

Já mencionei seus peitos?

Enfim…

 

Saudades das nossas músicas

Das cinco horas da manhã

Do seu pai pegando água

Do seu sutiã

Do calor que me esquentava

Do frio que não fazia!

 

Ah, meu amor!

Não pedirei nenhum favor

Peço apenas pelo meu direito

De sermos para sempre felizes

Lado a lado

Perfeitamente imperfeitos

 

Ah,  meu amor!

Seja como o seja for –

Já disse –

Não pedirei nenhum favor

Apenas entregue-se ao que sou

Ao que você é

Ao que somos

E sabemos que somos

Pura felicidade e poesia

 

Eis-me todo seu

Ao meu

Ao nosso

Indiscreto

Direto

Mais do que manifesto

Dispor.

tumblr_static_tumblr_static__640

Save