Dia dos Pais – 2021

Não quero presente neste dia. Quero estar presente e estou presente na vida da minha filha. Isso é tudo que realmente me importa e me define como homem, como ser humano.

A paternidade é uma benção incomparável. É uma espécie de super poder, e bem sabemos que com grandes poderes, surgem as grandes responsabilidades.

E é assim na minha vida: minha filha em primeiro lugar. Educa-la e fazer dela um ser humano de bem é a minha maior prioridade e responsabilidade. Eu a crio para o mundo, muitas vezes para enfrentar situações que eu sequer tive que enfrentar (mundo diferente, gerações diferentes), se utilizando dos valores que eu considero corretos (sou cristão) e que faço questão de que ela leve consigo.

Educai as crianças, para que não seja necessário punir os adultos.

Pitágoras

E nesse sentido, no Dia dos Pais, gostaria de convidar aos pais (e mães também) para uma reflexão. Estariam os pais exercendo a sua obrigação de educar os seus filhos ou deixando tal indelegável e inadiável tarefa para a escola, para os meios de comunicação e para ativistas de todos os tipos, que muitas vezes estão até mesmo dentro das escolas? Estariam os pais sendo pais ou apenas provedores financeiros? São perguntas que já me fiz, que creio serem perguntas que todos pais deveriam se fazer.

É importante deixar claro que os nossos filhos serão educados de uma forma ou de outra. Na medida em que os pais abrem mão de educar seus filhos, outros farão esse papel, muitas vezes contra os melhores interesses de nossas crianças e adolescentes.

Se queremos um futuro melhor para os nossos filhos, é importante que este futuro melhor comece e esteja dentro deles. Os ditos movimentos progressistas veem nossos filhos como massa de manobra a ser doutrinada e utilizada de acordo com suas ideologias. Foi para isso que colocamos nossos filhos no mundo? Eu tenho certeza que não.

Então, fica o alerta: sejam pais! Participem! Se interessem! Lutem pelo que acham certo para seus filhos! E estarão fazendo isso não só pelos seus próprios filhos, mas também para a nossa sociedade como um todo. Tenho certeza de que, no futuro, seus filhos e os filhos de seus filhos agradecerão por isso.

Feliz Dia dos Pais!

Educação no Brasil

Pouco se fala da educação infantil, do ensino fundamental e do ensino médio no Brasil. Por algum motivo, o foco do governo atual e dos anteriores estava/está no ensino superior, que é a ponta do iceberg.

Atacar o sintoma e não a causa não me parece ser algo inteligente. São 3 anos de educação infantil (sem contar com os anos de berçário), 9 anos de ensino fundamental, e 3 anos de ensino médio, para um total de 16 anos (pelo menos), e a “culpa” está no ensino superior, sobretudo nos cursos de Ciências Humanas?

Ainda mais curioso é que esses 16 anos que antecedem ao curso superior são justamente os anos onde se formam os valores do indivíduo, bem como a maneira como ele vê e se relaciona com o mundo e com seus semelhantes. Acima de tudo, é nesse período que se desenvolve a moral e o caráter do indivíduo, ou seja, a sua capacidade de diferenciar intenções, decisões e ações entre aquelas que lhe são distinguidas como próprias e as que são impróprias, e, em última análise, a própria capacidade do indivíduo de diferenciar o bem do mal.

Sim, grande parte desses 16 anos são passados na escola, mas cabe lembrar que não é responsabilidade da escola educar as crianças, mas sim escolarizá-las. O filósofo Mario Sergio Cortella faz uma distinção clara entre educar e escolarizar, sendo a escolarização apenas parte do educar, que na sua totalidade é de responsabilidade dos pais.

Dito isso, parece não restar dúvida que cabe aos pais uma participação ativa na educação de seus filhos que, repito, não é de responsabilidade da escola. Pelo contrário. E assim sendo, me pergunto: quantos pais de fato se interessam pela escolarização de seus filhos? Quantos pais tentam entender as propostas pedagógicas das instituições em que seus filhos estão matriculados, para verificar se os valores da escola estão alinhados com os valores da sua célula familiar? Pela minha experiência, digo que são poucos, realmente poucos. Enfim.

Em suma, creio que o papel dos pais precisa ser repensado, pois é justamente na sua ausência que se proliferam ideias diversas, quer seja para o bem ou para o mal. Não faz sentido esperar frutos bons de árvore podre, assim como não faz sentido confundir sintoma com causa.

A prioridade do Ministério da Educação não deve ser os cursos superiores, mas todo o longo percurso que os antecede. Enquanto não admitirmos que falhamos sistematicamente enquanto país e pais nesse sentido, jamais veremos qualquer progresso ou equiparação com o mundo desenvolvido.

Ser pai é ser feliz!

Eu vejo muita gente falando da responsabilidade associada à parternidade, que de fato é muito grande. Afinal de contas, você se torna responsável direto por um indivíduo que literalmente precisa de você para viver, para sobreviver. Só que para mim, ser pai é bem mais do que isso: ser pai é ser feliz!

Quando eu vejo a minha filha crescendo, se tornando uma moça, e ainda assim me tendo como referência e me considerando seu grande amigo, tudo faz sentido. Ela é um pedaço de mim que vai adiante e que espero que seja uma melhor versão de mim.

Percebem o poder disso? Não é o poder sobre a criança! Pelo contrário! É o poder de dar poder para a minha filha, de maneira que ela seja independente, confiante e muito, muito feliz. Não é só sobre dizer sim e comprar comida ou roupas. É sobre dizer o não e ser firme na transmissão de valores, idéias e pensamentos. Não é educa-la para ser como eu, mas para que ela tenha todos os mecanismos necessários para se desenvolver e ser um indivíduo único, pleno e consciente de suas capacidades e limitações.

Se isso é fácil? Claro que não! Aliás, é bem difícil. É preciso passar adiante a minha melhor parte. É preciso não errar onde eventualmente meus pais, tentando acertar, erraram comigo. E aí está um ponto chave: eu precisei me conhecer profundamente para melhor lidar com a minha filha, o que equivale a dizer que a minha filha me fez um homem melhor.

E que fique claro que não faço isso pelas luzes da ribalta. Pouco me importa o que acham do que estou fazendo. Já fiz inúmeros sacrifícios por minha filha. Já fui julgado e condenado por esses sacrifícios. Só que isso não importa… Eu sou pai para a minha filha e desde que ela veja em mim um porto seguro, todo e qualquer sacrifício valeu e vale a pena.

Hoje é Dia dos Pais. Dia que eu conquistei e conquisto todos os dias. Minha filha, logo antes de dormir, me desejou um Feliz Dia dos Pais. Não é preciso ganhar um presente ou algo assim. A vida dela é o meu presente e a felicidade dela o meu maior triunfo.

Muito obrigado, minha querida Sophia! Já são 11 anos comemorando essa data! E que Deus me permita comemorar muitas datas como essa com você. Eu me orgulho muito de você e VOCÊ ME FAZ FELIZ.