7 – Orgulho

Sim!

Tenho muito orgulho de mim

 

Não

Eu não mereço tratamento especial

E não me vanglorio do que já fiz

Mas dentro do meu coração

Bem lá dentro

Tenho orgulho do que sou e do que já vivi

 

Não esmoreço

Nunca esmoreci

 

Diante do ódio

Levei o amor

Diante da discórdia

A união

Nem de longe

Um São Francisco de Assis

Apenas mais um na multidão

Tentando encontrar seu caminho

 

E essa minha fé gigante

Tamanha

Em Deus

Na vida

É meu escudo para ser

Muito mais forte do realmente que sou

 

Gosto disso:

De ser como sou

De saber que sempre lido com a verdade

Em busca da felicidade

Minha e dos outros

Eu sou assim!

 

E de vez em quando fraquejo…

Meus olhos lacrimejam

Meu coração dói

Minha alma também…

 

É esse o preço

De quem nasceu do avesso

Visceral

Para não morrer

Até mesmo depois do fim.

maxresdefault

1 – Gula

2 – Avareza

3 – Luxúria

4 – Ira

5 – Inveja

6 – Preguiça

7 – Orgulho

6 – Preguiça

Já fui do céu

Ao inferno

E do inferno

Ao céu

Muitas e muitas vezes

Sempre dei tudo de mim

 

Sempre tive aquela sensação

De que devia e precisava fazer mais

De que precisava ir atrás

Chegava até a esquecer de mim

 

E eu amava…

E como amava!

 

De dia ou de noite

Ao fim de tarde

E eu tentava fazer tudo perfeito

Tudo direito

Simples assim:

Só para nos ver sorrir

 

Eu lutava…

E como eu lutava!

 

Superava obstáculos

De toda e qualquer natureza

Eu queria a verdade

Pela nossa cumplicidade

Pela nossa reciprocidade

Eu lutava por nós

Por você e por mim

 

Até o dia que me percebi um Don Quixote

E aí eu tive preguiça, sim

Talvez eu esteja só cansado

Mas por via das dúvidas

Vou esperar sentado.

792-esperar-nao-e-perder-tempo--A-Frase--

1 – Gula

2 – Avareza

3 – Luxúria

4 – Ira

5 – Inveja

6 – Preguiça

7 – Orgulho

5 – Inveja

Aquilo que tenho quando não estou contigo

E que me faz sentir que estou sem mim

 

Tenho inveja de mim mesmo

Do garoto que viro

Do semblante leve

Dos sorrisos, dos papos animados

Do não ter pressa

Do não ter rumo

Do não precisar do futuro

Do saber o que é só estar ali

 

Do barulho do mar

Da água de coco na praia

Do protetor solar

Dos coqueiros

Da restinga

Do biquini

Dá tolha que cai e me faz rir

 

É, eu tenho inveja de mim..

 

Quem sabe um dia essa inveja vire só saudade

E talvez um dia até essa saudade chegue ao fim

Seria uma pena

Enfim.

3e28901b1624ff3a66d413a6cf669b8c

1 – Gula

2 – Avareza

3 – Luxúria

4 – Ira

5 – Inveja

6 – Preguiça

7 – Orgulho

4 – Ira

É o aperto no coração

Que faz sangrar o que não deveria ser dito

 

Perguntas sem respostas

Cartas que vão e não voltam

Monólogos compartilhados

Ansiedade que dispara

O que fica para depois

O que nunca é antes

 

É o breve

O rápido

O descuido

O descaso

A ingratidão

Os pés no chão

Ainda que com asas

 

É a espera

O aleatório prognóstico

A comida que esfria sobre a mesa

Feito amor que saiu para comprar cigarros

E nunca mais voltou

 

São as fotos

A presença distante

O gosto do beijo

O vinho e o queijo

A incapacidade de lidar

Com o sim e com o não

 

É a mão estendida

A promessa não esquecida

A loucura da solidão

O medo do escuro

A esperança de que não tenha sido tudo em vão

 

Minha ira

Casca de ferida

Mais que dorida

Que não se cura

E que está sempre pronta para virar perdão.

lucas_edvaldo_o_amor_verdadeiro_nunca_morre_independent_lqyzw9e

1 – Gula

2 – Avareza

3 – Luxúria

4 – Ira

5 – Inveja

6 – Preguiça

7 – Orgulho

3 – Luxúria

Somos eu

Somos você

Muito mais que nós

 

É o que nos agride

É o que nos maltrata

É a falta da pele do outro

É a falta do cheiro e do gosto

 

É a abundância

É a fartura

É a perda da coordenação

É vício e fissura

 

É o toque

É o gesto

É a saliva

É o arrepio

 

É roupa que cai

É o gole que enlouquece

É o despejar de vida

É a láurea de quem não padece

 

É a beira da praia

É a beira da cama

É a beira da loucura

É essa coisa totalmente insana

 

É o despertar

É o dormir

É o comer até o fim

É não deixar ir

 

É destino

É o inteiro e o recorte

É querer mais que querer

É a brisa fraca e o vento forte

 

É o corpo suado

É a alma que sacode

É a arritmia das cores

É o cachorro que ladra e morde

 

É a eternidade

É o viver sem temer a morte

É amor e anistia

É o não precisar de sorte

 

E por fim

É o Sul e o Norte

É os fatos como são

É da felicidade o passaporte

 

Somos eu

Somos você

Muito mais que nós.

luxúria

1 – Gula

2 – Avareza

3 – Luxúria

4 – Ira

5 – Inveja

6 – Preguiça

7 – Orgulho

2 – Avareza

Jamais quero perder-te

E se isso for defeito

Abro mão desse direito

Ponha-te a correr!

 

Mas se não for o caso

Se nada entre nós for raso

Tua fuga será destrutiva

Fuga do que é e deve ser

 

Enquanto isso

Reparo nos teus cabelos

Minhas mãos em teus seios

Por ti avarento sempre hei de ser.

ana_jacomo_economizar_amor_e_avareza_coisa_de_quem_func_lg8w5j5

1 – Gula

2 – Avareza

3 – Luxúria

4 – Ira

5 – Inveja

6 – Preguiça

7 – Orgulho

1 – Gula

Nunca me cansei de te comer

Muito menos de te beber

Gosto de abundantes farturas

Não por vício

Mas por opção

Te comer e te beber

É sempre muito bom

 

Ao ponto de assar, quase doer

Nenhuma sobra

Nenhum resto

E apesar disso

Eterno “enterro dos ossos”

Eterno comer e beber

 

Sim, é putaria

Mas quem disso vai saber?

É algo nosso

Prognóstico?

Comer e beber

Até morrer

Causa mortis?

Banquete de prazer.

101d7a8e291baa27670fd7b1a905d679

1 – Gula

2 – Avareza

3 – Luxúria

4 – Ira

5 – Inveja

6 – Preguiça

7 – Orgulho