Crisol

O que eu procurava
Em mim já existia
E se transformava em poesia
A todo instante

Um universo inteiro
A lua e o sol
Na vida um crisol
De tudo que é verdadeiro

Vivos e gritantes
Os abraços e os beijos
As paixões e os desejos
As taças que já bebi

Todas as minhas vísceras
As tristezas e os medos
As confissões e os segredos
O amálgama de mim

Era essa a minha loucura
Procurar o que eu já tinha
O que em mim se aninha
O que estou disposto a oferecer

É tudo gratuito
Pois nada tem preço
Porque tudo que ofereço
É porque só sei ser assim.

Souvenir

Juro que só estava

Procurando a rolha

Sabe como é…

É preciso procurar

Devagar

Sem nenhuma

Pressa

Em todos

Absolutamente todos

Lugares possíveis

Rolhas não ficam

Que eu saiba

Invisíveis

 

E tem o queijo…

Camembert ou Brie…

Não lembro ao certo

Onde?

Acho que em cima do sofá…

Talvez embaixo da cama…

E sua intolerância a lactose?

Deixa eu procurar a rolha!

 

Hum…

Por um acaso

Você não a escondeu?

Não?

Que bebamos a garrafa toda

Ou mais de uma

Tu e eu

Pela manhã

Descubro onde ela se meteu.

c7a55f28b890547d81d30fe3a852cfc6