Quero com você me despir

Há noites em que você me chama

E o fogo que arde em seu corpo

Em sua cama

Queira você ou não

Chegam até mim

 

Já respiramos um dentro do outro

Não há limites

Nada de esquisitices

Amor visceral

Que de nós flui

E que nos faz sorrir

E outras coisas mais

 

Confesso que sinto sua falta

Do seu perfume

Do seu hálito com alucinante

De todos os nossos cheiros

De todos os nossos gostos

Que valem mais que diamantes

Que fluem –

E como fluem! –

E nos afogam

Morremos em nossos braços

Por alguns instantes.

 

Aliás, você não é mais uma

E por mais tenham existido algumas –

Meu passado eu não renego –

Você é e desde sempre foi

A única de qual não quero

Jamais me despedir

 

No máximo –

Que fique perfeitamente claro –

Quero com você me despir.

tesao

Sacanagem olímpica

Lembro-me de quando toquei pela primeira vez

Entre suas olímpicas pernas

Depois disso, não me lembro de mais nada

Ainda que aquela sensação me seja eterna

 

De alguma forma associei aquele momento

Ao barulho do curso de um rio

Tornei-me um ás da canoagem

Todo dia remando e colocando-te no cio

 

E hoje, meu maior desafio

É afogar-me por completo todo dia

Entre as tuas fartas e inigualáveis coxas

Não há morte; só putaria e poesia.

muco-vaginal-clara-de-ovo-wikipedia-commons-257x300