Aqui é Brasil, porra!

Esta bandeira não tem partido e nem político de estimação. Esta bandeira é o que somos no passado, no presente e no futuro. Esta bandeira transcende quem está, esteve ou estará na presidência. Esta bandeira é tua, é minha, é nossa, sob as bênçãos de Deus e de Nossa Senhora de Aparecida. O resto são só bravatas e gente que não vale o pão que come.

Nem A e nem B. Aqui é Brasil, porra!!!

Porto seguro

Por que voas, borboleta,
Se ao final
Sei que repousarás
Em meu peito?

É porque meu voo, meu amado,
Aquece a tua alma
E este fogo
Incendeia o nosso leito.

Voa, borboleta…
Voa…
E ao final
Repousa em meu peito.

Aquieta-te, meu amado!
Não há pouso
Ou lugar seguro
Que não seja o nosso leito.

Vim trazer verdades 35

Há uma mensagem poderosa por detrás da forma como as pessoas lhe tratam. Quem ama ou nutre algum tipo de sentimento positivo por você lhe respeita, não mente, não é inconsequente em seus atos e não lhe machuca intencionalmente. Toda pessoa que se coloca em uma situação em que possa lhe perder não merece a sua confiança, a sua presença e muito menos a sua atenção. Quando perceber esse tipo de padrão de comportamento em alguém, aceite como uma libertação de Deus e afaste-se.

Eu te recomendo

Apesar de a gente não ter dado certo, eu te daria uma carta de recomendação sem pensar duas vezes.

Você foi meu sangue e minha alma, meu amor e minha vida, e foi por tanto tempo…

Como não falar bem de uma das melhores coisas que já me aconteceram?

E não, isso não quer dizer que não mais te amo. Pelo contrário. Quer dizer apenas que te quero feliz, feliz como eu sempre te quis, quando você estava do meu lado. Amar não é isso?

Eu te amo de alguma forma. Em algum tempo e em algum espaço ou lugar. Eu não seria quem eu sou sem você. Eu não seria o que eu sou sem o que nós fomos.

Eu te amo. Saiba disso. Lembre-se sempre disso. É uma verdade eterna e inabalável, inquebrável. Você não é algo do qual eu queira me desfazer. Eu me lembro de você. Eu me lembro de nós. Eu me lembro de tudo. Você não é algo que eu queira ou precise esquecer.

Paradoxo da Pandemia

Muitas pessoas que nunca usaram máscara ou álcool em gel, que são contra a vacinação, e que nunca respeitaram o distanciamento social sobreviverão sem nunca terem sido infectadas pelo Covid-19. Essas pessoas dirão que tudo foi um grande exagero e que os cuidados de fato nunca foram necessários. Essas pessoas rirão de você que se cuidou e que se vacinou. Dirão que você caiu no conto do vigário. E está aí o grande paradoxo dessa pandemia: quem não se cuidou ou não se cuida foi e está sendo diretamente beneficiado por quem se cuida.

Quando você se cuida, você cuida dos outros também. Quando você não se cuida, você não cuida dos outros também. Prefiro pecar pelo exagero do que pela falta. A minha consciência está tranquila. E a sua?

Sorria sempre!

Você se foi e não se tornou uma pessoa horrível por isso. Não passei a te odiar e a torcer para que tudo dê errado em tua vida por conta de você ter ido embora. Não mesmo. Não faria sentido algum ser assim. O que eu sentia era amor e continua sendo de alguma forma.

Deixei claro que por mim você não iria. Deixei claro o quanto eu te amava, e se mesmo assim você decidiu ir, o que posso fazer além de torcer para que você seja feliz?

Amar é isso. É deixar ir. Se você faz falta? Muita. Minha vida ficou meio sem graça, como se estivesse faltando um pedaço. Há dias bem difíceis. Mas, se você não queria ficar, de que me adiantaria a sua presença? De nada. De absolutamente nada.

É preciso encarar os fatos. Até para sofrer é preciso ter dignidade. Você se foi porque quis e nesse sentido me fez até um favor. Quero ao meu lado quem sinta que precisa e queira estar comigo, que ria das minhas palhaçadas, que admire a maneira como eu encaro a vida, o meu jeito de amar, e que sinta vontade de ficar e pagar para ver como vai ser o futuro. Eu mereço isso, entende? Também mereço ser feliz.

Eu espero que você esteja feliz e curtindo a tua vida. Era isso que eu te desejava e nesse sentido nada mudou. O que vivemos juntos foi uma (quase) vida inteira, e não vou deixar que um eventual apego ou mesmo alguma carência turvem ou distorçam as nossas memórias. Não mesmo. Foi tudo muito bom (minha memória é seletiva: só lembro das partes boas).

Eu? Eu vou ficar bem. Eu sempre vou ficar bem. Tinha certeza disso antes de te conhecer. Essa certeza permanece e independe de você. Ainda estou me acostumando a viver sem as nossas rotinas (juro que eu gostava delas), mas a vida segue seu curso.

Um beijo e fica bem, tá? Posso até não concordar com a tua decisão, mas acima de tudo eu respeito o teu direito de não querer ficar. É o mínimo que posso fazer em nome do que a gente viveu.

P.S.: Você fica linda sorrindo. Sorria sempre!

Dia Internacional da Mulher – 2021

É o dia de chover no molhado. Ou, pelo menos, deveria ser.

As mulheres precisam e merecem respeito TODOS OS DIAS. Respeito pelo que são, pelo que querem, pelo que não querem. Respeito pelo seu direito de dizer sim ou não. Respeito de verdade. Nada de respeito condicionado a aceitar normas e regras impostas pela sociedade. Respeito enquanto seres únicos. Respeito enquanto indivíduos.

A masculinidade frágil acredita que vai resolver isso com caixas de bombons e flores em um só dia. Não vai e é bom que seja assim.

Antes de estufar o peito e dar parabéns a uma mulher pelo dia de hoje, reflita como você é com as mulheres todos os dias. Caso contrário, você está celebrando hoje apenas o Dia Internacional da Hipocrisia.

Eu vou respeitar o meu coração

Eu vou respeitar o meu coração
Em qualquer situação
Em todo momento
Durante todo o tempo
Até a última hora

Nem sempre o entendo
Mas sempre o respeito
Para ele não ir embora

Guardo dentro dele coisas gigantes
Tesouros incalculáveis:
Sonhos
Pessoas
Futuro
Presente
Passado

Um pouco de tudo
Até mesmo do nada
Mas nenhum centavo
Nada do que me pode
Ser tirado

E há momentos
Em que ele não cabe dentro de mim
E foge pelas minhas mãos
Feito pichador
Que nas paredes do meu mundo
Liberta-me pintando poesias

Talvez as coisas andem
Um pouco desarrumadas
Mas nele está
Tudo que deveria estar

E quando ele se agita –
E sempre se agita –
Desarruma-me
Mas é justamente desarrumado
Completamente desarrumado
Que me sinto mais vivo
Mais no rumo
Seja lá qual rumo for

Eu já quis ter o poder
De decidir o que nele ficaria
Ou o que nele eu colocaria
Quanta hipocrisia!

Mas não…
É melhor não…
Ele tem vida própria
E eu só tenho o que chamam de razão.

Respeite-se!

Haverá momentos na sua vida em que será necessário se impor. E se para isso for necessário subir o tom das conversas, que assim seja. Nunca se esqueça que é seu direito e sua obrigação deixar claro quais são os seus limites. Não seja o “bonzinho” que aceita tudo calado e se destrói por dentro. Seja gentil, educado, mas, acima de tudo, respeite-se! A sua vida agradece. 😉

Massacre LGBT em Orlando

Domingo passado, 12/06/2016, assistimos a mais uma carnificina promovida pelo Islã e seus seguidores. Pelo menos 50 pessoas morreram e outras tantas ficaram feridas por conta de um terrível ataque promovido por um muçulmano na cidade de Orlando, mais precisamente em uma casa noturna LGBT.

O que me espanta, entretanto, é que o ISIS e o Boko Haram, entre outros, vem sistematicamente matando pessoas (homens e mulheres, idosos e crianças) por conta de sua religião e/ou etnia, e pouco ou quase nada se fala sobre isso. Não há tal comoção quanto o assunto é a morte de cristãos, curdos, etc. Fico me perguntando o porquê.

Mas vamos deixar isso de lado por ora… Em tese, quem é o político que representa a comunidade LGBT no Brasil? Todos sabem a resposta: O Deputado Federal Jean Wyllys. Será que alguém poderia me explicar, então, por que este mesmo deputado defende o ensino do Islã nas escolas brasileiras? Trocando em miúdos: sendo a homofobia parte integral do Islã (homossexuais são crucificados, apedrejados e atirados de cima de prédios), qual o interesse que o Jean Wyllys tem em promover o Islã no Brasil? Promover o Islã no Brasil é a mesma coisa que promover a homofobia. Contraditório, não? Não acredita no que estou dizendo? Explique-me, então, o porque do Jean Wyllys ir a Israel fazer palestras, e não fazer sequer uma visita a Palestina? Se o Islã é algo tão bom ao ponto de precisar ser ensinado nas escolas, qual o problema do Jean Wyllys visitar a Faixa de Gaza? Estranho…

Mas isso não deveria assustar ninguém. Há fotos do Jean Wyllys vestido de Che Guevara, outro costumaz assassino de homossexuais. Aliás, defender o comunismo e o socialismo é ir contra a causa LGBT. Que o digam Stalin, Lenin, etc. Para estes, o homossexualismo era considerado uma “perversão capitalista” que precisava ser eliminada.

O PSOL, cujo nome é Partido Socialismo e Liberdade, é uma farsa. Não há liberdade no socialismo e muito menos defesa dos homossexuais. Pelo contrário. Os homossexuais, assim como outros grupos (negros, mulheres, gordos, pobres, etc.), são estimulados a confrontar o status quo de maneira pouco inteligente e agressiva, fazendo com que o ódio contra esses mesmos grupos seja engendrado, criado no seio da sociedade. O objetivo? Uma “revolução sem sangue”, conforme a proposta de Antonio Gramsci. Na prática, tais grupos tornam-se apenas massa de manobra nas mãos daqueles que querem chegar e permanecer no poder, e mais nada.

Questionem-se: o que seria do Jean Wyllys se não fosse a homofobia? O que seria do Freixo se não fosse o vitimismo? Estes políticos não lutam para que estes grupos tenham uma vida plena e sejam integrados/aceitos pela sociedade. Pelo contrário. Chegam ao extremo de conceder para estes grupos direitos especiais, que acabam por fazer com que a sociedade repudie o seu comportamento, e associe a canalhice destes políticos aos próprios membros do grupo que em teoria representam.

O que a comunidade LGBT conseguiu ao inserir, durante a visita do Papa ao Brasil, crucifixos e a imagem de Nossa Senhora na vagina e no ânus? Como alguém pode pedir respeito não respeitando? Como esperar solidariedade sem se solidarizar? Percebem a contradição disso tudo?

Chegou o momento de todos estes grupos acordarem para a realidade. Se vivemos em sociedade, temos que aceitar as nossas diferenças, e não esquecer de nossa obrigação em manter padrões mínimos de decência e respeito mútuo. O nome disso é reciprocidade. Respeite para ser respeitado. E talvez assim, da próxima vez que um cristão for assassinado, os membros da comunidade LGBT também fiquem indignados com a brutalidade do Islã, da mesma forma que eu mesmo fiquei indignado com a brutalidade do que aconteceu em Orlando. Esse é o primeiro passo para um mundo mais verdadeiro, sem homofobia, racismo e coisas do tipo.

A vida vem antes de tudo. Vamos, juntos, lutar pela vida de todos!

paz