És tudo que me cinge

Da série “Poesias encontradas na lixeira” (e que não mereciam ter ido para o lixo).

És tudo que me cinge

Hoje
Meu amor, minha vida
Calhou de me dar a vontade
De escrever uma despedida
Que depois de duas garrafas de vinho
Parece-me a única avenida
Ainda que seja um beco sem saída
Ou trilhos que levam-me ao nada

Há tempos não ouço de ti
Há tempos não toco tua pele
Há tempos não sei de nós
Há tempos…
E parece-me toda uma vida
Dada com os burros n’água

E nesse turbilhão de saudades
Nessas pequenas e diárias eternidades
Por uma última vez
Venho aqui dizer que te amo
E que te amarei para sempre
Todos os dias
Até mesmo nos dias
Em que eu não amar-te-ei:
Dias que não existem

Ad infinitum
Esta, pois, é a minha vontade
Mantém-se a minha doce santidade
Na presença que não se materializa
E que me estrangula de tanta saudade
Esvai-se a minha sanidade
No perfume que deixaste
Em tudo por aqui
E que todos os dias
Pelo vento confirmas e trazes

Amor meu
Onde estão os olhos teus?
Que tanto me iluminavam
Que tanto me diziam
A tua voz que me sorria
O que sem dizer, dizias…

Eu não sei
E de tanto não saber
De mim mesmo estou farto

Dei-te meu mundo
Cada e todo segundo
O que em mim há de mais fecundo
De mais profundo
Se foi…
E sequer sei para onde
Eu mesmo me fui:
Meu destino é ignorado

Não sinto-me sozinho –
Por certo –
Estás sempre por perto! –
E em meu peito
O coração sempre aberto
Clama por teu nome
Que não repetirei aqui
Em memória do que não foi vivido
Em nome do respeito e do zelo
Que sempre nutri e nutro por ti

Hoje
Meu amor, minha vida
É só um dia qualquer
Onde eu homem
E tu que eras
Para ser minha mulher
Não se encontram
E nesse eterno não encontrar
Hoje, morri de saudades
E ainda assim estou aqui
Absorto em minhas flexuosidades

Erguerei outras taças
Farei outros brindes
Conhecerei outras pessoas
Mas, hoje
Tudo que me cinge
Tem o teu nome
E é em memória de ti
Por si
Em dó
Por todas as notas
Que por nós são
Uma única melodia
E só

E a minha faina
É todos os dias –
Mentir
E fingir que nunca –
Profunda e absolutamente –
Eu te conheci
Mas de fato conheço-te…
E conheço-te
Porque vivo-te
E de ti nunca me esqueci.

Praia de Icaraí – Niterói/RJ – Brasil

Pigarro

Estive pensando
Em mim
Em você
Em nós
Nos nós
Na garganta –
Pigarro –
Difíceis
De engolir

Coisa pouca
Eu e você
Queijos e vinhos
Nenhuma roupa
Nenhuma pretensão
Mais nada
Mais ninguém

Eu estou bem

O dulçor
E o amargor
Da saudade
Me guarnecem
Me aquecem
Feito prece
O resto
É o resto
É o momento
No tempo
Em deixar
Por decidir.


Nunca mais

Hoje, eu te abracei

Não, você não estava aqui

Mas o vento fez questão

De me banhar com teu perfume

 

Fechei os olhos e abracei

Os quatro cantos da minha memória

E lá estava você

Onde sempre esteve

Sorrindo para mim

 

Senti teu peito tocando o meu

O calor da tua pele

As borboletas no teu estômago

A saudade tornando-se presença

O coração batendo forte

Poesias declamando

Flores de toda sorte

E a vida cantando:

Você… Você… Você…

 

E mais do que nunca

Tive você presente

Na minha mente

No corpo

Na alma

Não, você não me completa

Mas me faz ter sentido

 

E nesse abraço

A lágrima seca eu engulo

O aperto na garganta eu disfarço

E entrego-me como da primeira vez

Como sempre foi

Como é

Em você eu me faço e refaço

 

Ah! E o vento…

Que do teu perfume abusou demais

Mostrou-me que nunca é tarde

E quem sabe nessa vida fugaz

Eu ainda tenha muito tempo

Todo tempo que me resta

Para te abraçar

E ficarmos de uma vez por toda em paz

Para não dizer adeus nunca mais

Nunca mais.

 

fotos-pre-casamento-praia-paracuru-23

Minha amiga

Minha amiga,

Você sabe quem você é, sabe quem eu sou, e sabe o quanto te amo e te respeito. Nutro por ti um amor fraternal e incondicional.

Sei que o momento é grave. Entendo perfeitamente as tuas preocupações, a tua decepção, enfim. Esteja certa, porém, que também sei o quanto te amo, e honrarei o teu nome seja como for. Você não merece NADA do que está passando.

O que Deus edifica, o diabo não derruba. Espero com meu coração entreaberto, mas com um coração que acima de tudo te ama. Eu vou lutar por nós!

Eu te amo!

Marco zero

E pensar que eu só queria

Saber se você me lia

Pois em cada gota de tinta

Estava um pedaço de mim

 

E pensar que eu só queria

Nas noites tão vazias

Um beijo de boa noite

Um alento para a saudade que há em mim

 

E pensar que eu só queria

Contar o passar dos dias

Para aquecê-la em meus braços

Para tê-la em mim

 

E pensar que eu só queria

Que em minha cama vazia

Repousassem seus medos e sonhos

Para que você pudesse vivê-los em mim

 

E pensar que eu só queria

Ouvir e ser ouvido

Em prosa e poesia

Para fazê-la lembrar de mim

 

E pensar que eu só queria

O que ainda quero

Nosso amor, nosso marco zero

Laços sem fronteiras

Amor

Puro e retumbante

Amor desconcertante

Sem fim.

Partituramente

Durante um ano inteiro

Executamos a nossa música

 

Lembra?

 

Mais ou menos assim:

Eu te amo

Água na boca

Delícia

Saudades

Gemidos

Voz rouca

Cheiro, calor, sabor, comichão, sufoco

Só para economizar reticências!

 

Transcrita

Minha partitura

Minha mais essencial

E atemporal

Essência

 

Ao longe

A melodia

O ritmo

A harmonia

O clássico

O meio sem jeito

Mas acima de tudo

Pretérito

Presente

Futuro

Muito mais do que perfeito.

corpo

11 anos sem meu pai

Post breve, apenas para declarar abertamente a falta que você me faz, meu pai. No dia 06 de Setembro de 2005, você se foi para o plano espiritual. Ficou a saudade de tudo que você foi, de tudo que você é na minha vida, e a certeza de que lutar por aquilo que acreditamos vale a pena!

Um beijo, meu saudoso Jorge Manuel Wahnon Ottolini! Fique em paz!

ideias-para-dia-do-pai