Desperta dor

Estridente

Contundente

O despertador desperta

 

Só mais 5 minutinhos…

 

Veemente

Inclemente

O despertador desperta

 

Só mais 5 minutinhos…

 

Impaciente

Descrente

O despertador desperta

 

Chega de clicar no “Snooze”!

Ainda há tempo

Só mais uma soneca

 

ZZZZZZZZZZZZzzzzzzzzzzzzzzzzzZZZZZZZZZZZZZZZZzzzzzzzzzzzzzzzz

 

ZZZZZZZZZZZZzzzzzzzzzzzzzzzzzZZZZZZZZZZZZZZZZzzzzzzzzzzzzzzzz

 

ZZZZZZZZZZZZzzzzzzzzzzzzzzzzzZZZZZZZZZZZZZZZZzzzzzzzzzzzzzzzz

 

E três horas depois…

 

Meu Deus!

Que descontentamento

Perdi a oportunidade

Posso voltar no tempo?

 

Não, não pode!

Com o tempo não se brinca

É preciso reparar no tempo

Enquanto o futuro não se erode

 

Dorme agora

Já que não há

Diferença na pressa

E na demora

 

Jogou-se tudo fora

Enrolando-se no presente

Disfarçando o que deveras sente

 

E agora?

 

Despertado pela dor

Irresponsavelmente

Deixou a vida ir embora.

181iv7orxmci2jpg

Amor ou morte

Caminhos

Escolhas

Como folhas

Flutuam ao vento

 

E o tempo

Implacável

Indomável

Segue alheio ao teu diferimento

 

Sonhos de uma vida inteira

De uma vida inteira cativos

Resplandescendo a teus pés

E pelos teus pés comedidos

 

Posto que a vida apresenta chances

A tu que tens da vida fugido

Ainda que tenhas decretado a morte

De tudo que ainda há para ser vivido.

frase-o-amor-e-tormento-a-falta-de-amor-e-morte-marie-von-ebner-eschenbach-146786

Tic-tac

Posto que quando se ama

A distância se mede em metros

Mas em horas, minutos, segundos…

 

Tic-tac

Tic-tac

Tic-tac

Tic-tac

Tic-tac

Tic-tac

Tic-tac

Tic-tac

Tic-tac

Tic-tac

Tic-tac

Tic-tac

Tic-tac…

paciencia-aprender-que-tudo-tem-o-seu-tempo

Comigo

Não sei…

Não consigo me expressar

Deixo para que o tempo diga

O que o tempo dirá

 

Verborragicamente me calo

Silêncio…

Nem eu me aguento

Estou sem só de mim

 

Espreito a chance

Aquele peculiar instante

O tórrido romance

Do meu eu contigo

 

E eu sigo

Confiante

Perto ou distante

Carrego-te comigo.

Succubus

Eu olho para o céu e vejo
No infinito a minha finitude
Perplexidade diante de coisas tão pequenas
Fraqueza, apesar de plena e total saúde.

Nas sombras eu me escondo aturdido
Quero ver o Sol, mas não quero luz
Cruel e real tua atordoante presença
Que mesmo sem ter cor, muito seduz.

Desejar-te é desafiar todas as barreiras
Vencer o tempo, fugir da cruz
Animalizado instinto, puro sentimento
Revelar meu carrasco, sem tirar seu capuz.

Deixar o fogo queimar a carne
Deixar a alma arder em torpor
Trocar o certo pelo incerto atraente
Trocar o vazio pelo anseio, impávido pavor.

Sucubus real, tangível e sedutor
Filha das trevas, suga o sangue de minhas feridas
Cospe em minha face, sem nenhum valor
Prossegue caminhando para sempre sem vida.

Eu olho para o céu e vejo
Fragmentos de mim, totalidade do teu ser
És agora mais forte que antes
Êxtase alucinante, não me perdoo por te querer.

E depois me calo,
O silêncio tem mais à dizer
Fria pele, passa-me teu calor
Já estou morto, muito antes de morrer.

succubus.jpg

Tempo

Relativo

Constrito

Infinito

Eterno

 

Tempo

O senhor de todos

Os momentos

Razão das lembranças

E dos esquecimentos

 

Acreditando ou não

Ainda há tempo

 

Pois que fique claro

Que aguardo ansioso –

Confesso! –

Não sou brisa leve

Sou retumbante vento.

o-tempo-deixa-perguntas