Eu não me conhecia

E quando eu vi com os olhos

Não mais de quem via

Mas de quem queria ver

Eu deixei de ver

E passei a enxergar

E enxergando

Eu comecei a ver tudo

Que eu não via

.

Observador

E observado

Meu mundo cresceu

Quando me dei conta

De que das minhas lamúrias

Eu também era culpado

.

E amanheceu a vida

Sol que ilumina constante

De noite e de dia

Fui apresentado a mim mesmo

E de fato

Eu não me conhecia

.

Felicidade

.

Renascimento

.

Alforria.

Sempre ou nunca

Quando sobrar tempo

A gente se lembra

Quando sobrar tempo

A gente se fala

Quando sobrar tempo

A gente se vê

 

Sempre

 

E se não sobrar tempo algum

A gente sobra

Nunca falta tempo para esquecer.

Oito horas e trinta minutos

Tempo suficiente para dormir

Para acordar

Para ver

Para crer

E desacreditar

 

Tempo suficiente para tentar

Para desistir

Para esquecer

Para lembrar

E disfarçar

 

Tempo suficiente para pedir

Para implorar

Para entristecer

Para não chorar

E praguejar

 

Tempo suficiente para antecipar

Para retardar

Para pedir

Para despedir

E não ficar

 

Oito horas

E trinta minutos

Nem mais um segundo

São tempo mais do que suficiente

Para a espera de um coração que quer parar

Para não morrer de amor.

fronhas-marina-polide-dreams-aviao-1